Fonte: OpenWeather

    Avanço


    Países europeus já preveem fim das quarentenas

    Com taxas de vacinação aceleradas, há perspectiva de relaxamento das restrições e recuperação das economias

     

    Vacinação na França acelerou à medida que o governo do presidente Emmanuel Macron reagiu à intensa pressão pública e política
    Vacinação na França acelerou à medida que o governo do presidente Emmanuel Macron reagiu à intensa pressão pública e política | Foto: Reuters/POOL

    Os países da Europa Ocidental estão caminhando para uma fase importante na sua luta contra a pandemia do coronavírus à medida que as taxas de vacinação aceleradas abrem uma perspectiva de relaxamento nas quarentenas e recuperação das economias.

    Por toda a União Europeia, há um otimismo crescente de que o pior já passou, mesmo que as autoridades ainda lutem contra uma terceira onda.

    “A vacinação avança rapidamente”, disse o ministro da Saúde da França, Olivier Veran, nesta sexta-feira (30), à rádio France Info. “Mais e mais de nós estamos sendo protegidos. Eu acredito nisso”, completou.

     


    O retorno de atividades aos níveis de maior normalidade também vai ajudar a salvar empresas, empregos e receitas que foram afetadas pelas quarentenas decretadas neste ano para conter a terceira onda da pandemia.

    Suprimentos

    Após um momento de escassez, os suprimentos de vacinas contra a Covid-19 estão chegando. Espera-se que as entregas para a União Europeia quase quadrupliquem para mais de 400 milhões de doses no segundo trimestre, impulsionados pelos imunizantes da Pfizer/BioNTech.

    O bloco começará a testar seu sistema de passaportes de vacinação no início de maio, e o objetivo é colocá-lo totalmente operacional até o final de junho, dependendo de se a legislação for finalizada a tempo, segundo autoridades da UE.

    Tensões diminuem

    Embora os hospitais continuem cheios, há sinais de que as tensões estão diminuindo. Na Alemanha, o número de pacientes da Covid-19 em terapia intensiva diminuiu por quatro dias consecutivos.

    A vacinação na França acelerou à medida que o governo do presidente Emmanuel Macron reagiu à intensa pressão pública e política, a apenas um ano das eleições presidenciais e com as pesquisas sugerindo uma disputa acirrada entre Macron e a líder da extrema direita Marine Le Pen.

    A Itália administrou quase 500 mil doses de vacina na quinta-feira. O responsável pelo combate à Covid-19 no país, general Francesco Paolo Figliuolo, disse na quinta-feira que 60% dos italianos estarão totalmente vacinados em meados de julho, segundo a agência de notícias Ansa.


    * Com informações do jornal O Globo


    Leia Mais:


    Portugal vai retomar voos para o Brasil a partir de segunda-feira

    Índia supera marca de 200 mil mortes por Covid-19

    Que tal ganhar R$ 38 mil para se infectar com o coronavírus?