Fonte: OpenWeather

    Medidas


    Argentina amplia medidas de restrição contra a Covid-19

    País enfrenta nova pressão nos hospitais pelo aumento de internações

     

    Foco das ações é a região metropolitana de Buenos Aires
    Foco das ações é a região metropolitana de Buenos Aires | Foto: Divulgação


    Com 3 milhões de casos de Covid-19 desde o início da pandemia e uma pressão nos hospitais pelo aumento de internações, o governo da Argentina anunciou nesta sexta-feira (30) novas medidas de restrição para tentar conter a pandemia de coronavírus no país. 

    As novas medidas têm como data de validade inicial o dia 21 de maio. O foco das ações é a região metropolitana de Buenos Aires.

    Reabertura das escolas

    As aulas presenciais estão suspensas (elas já haviam sido interrompidas há 10 dias, mas agora a medida foi prorrogada —a exceção é a capital, onde o prefeito, Horacio Larreta, conseguiu reabrir). A Justiça precisará tomar decisões sobre processos que pedem a reabertura das escolas. 

    Há um toque de recolher entre 20h e 6h, mas os governadores podem aumentar esse tempo em que é proibido circular. 

    Os bares e restaurantes só podem atender as pessoas em mesas na calçada, e não nos salões. O horário para fechar é 19h. 

    O comércio tem horário de atendimento restrito também. Shoppings e centros comerciais foram fechados. Estão proibidos esportes em locais fechados. 

    Mesmo em residências particulares as reuniões estão proibidas. A exceção são encontros para prestar auxilio de saúde. 

    O país teve cerca de 3 milhões de casos de Covid-19 desde o começo da pandemia. O número de mortos é de cerca de 63,5 mil.


    * Com informações do jornal O Globo


    Leia Mais:


    Países europeus já preveem fim das quarentenas

    Mortes e internações por Covid estão diminuindo no Brasil, aponta OMS

    Lote de vacina contra Covid-19 para animais é produzido na Rússia