Fonte: OpenWeather

    Medida


    Itália não exigirá máscaras ao ar livre a partir de 28 de junho

    Decisão vem após autoridades de saúde notarem considerável queda nos casos de Covid-19

     

    Itália suspenderá obrigatoriedade de máscaras ao ar livre no dia 28 de junho.
    Itália suspenderá obrigatoriedade de máscaras ao ar livre no dia 28 de junho. | Foto: Reprodução

    A partir de 28 de junho, a Itália não exigirá mais o uso de máscara ao ar livre, anunciou o governo nesta segunda-feira (21), após ter sido verificada a queda nos casos da doença.

    O uso obrigatório de máscaras foi imposto em outubro do ano passado, quando o país entrava em uma segunda onda da epidemia e as autoridades mostravam dificuldade para conter as infecções.

    O governo de Mario Draghi está suspendendo restrições continuamente desde abril, e com isso reativando atividades como restaurantes, bares, cinemas e academias de ginástica e permitindo a liberdade de circulação no país.

    O uso de máscaras era uma das últimas regras ainda em vigor, e será mantido em áreas públicas fechadas.

    A decisão começará a valer na próxima segunda-feira, quando toda a nação deve se tornar uma zona branca de covid-19, o nível de risco mais baixo do sistema de quatro estágios coloridos usado pela Itália para calibrar as restrições em suas 20 regiões.

    Dezenove delas já estão brancas, com exceção da área minúscula de Valle d'Aosta, no norte, que está amarela - o segundo menor nível de risco.

    "A partir de 28 de junho, deixaremos para trás a necessidade de usar máscaras ao ar livre nas zonas brancas", disse o ministro da Saúde, Roberto Speranza, no Facebook, depois de ser orientado pelo conselho de especialistas do governo.

    Os italianos devem continuar levando máscaras consigo quando saírem de casa e estar prontos para usá-las ao ar livre se houver multidão.

    Leia mais

    Bolsonaro manda jornalista calar a boca após pergunta sobre máscara

    Copa América contabiliza 140 casos de Covid-19, diz Conmebol

    Tomei a vacina. Ainda posso pegar e transmitir covid-19?