Fonte: OpenWeather

    Fenômeno


    Furacão Grace mata 8 pessoas e perde força na costa do México

    Ventos chegavam a 150 km/h por volta das 9h (horário de Brasília); fenômeno causou mortes no estado de Veracruz

    Passagem do furacão Grace na Costa do México | Foto: Divulgação

    O furacão Grace provocou a morte de oito pessoas no estado mexicano de Veracruz neste sábado (21). Após atingir a região leste do México, perdeu força e foi rebaixado para a categoria 1. Por volta das 9h (horário de Brasília), ele tinha ventos sustentados de 150 km/h.

    A informação foi divulgada pelo Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês). Na madrugada deste sábado (21) , antes de chegar à costa do México, o Grace tinha ventos de 195 km/h e era considerado um furacão de categoria 3.

      Entre as mortes, sete foram na capital estatal Xalapa e uma na cidade de Poza Rica, segundo Cuitláhuac García, governador de Veracruz, em uma coletiva de imprensa.  

    Às 15h00 (horário de Brasília) o fenômeno estava localizado a 55 km da Cidade do México com ventos sustentados de 75 km/h e viajava a 20 km/h, de acordo com o relatório do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC).

    Apesar do rebaixamento na categoria, o furacão levou à falta de energia elétrica para parte da população, inundações e quedas de árvores, segundo a agência Reuters.

    O NHC afirmou que o Grace segue rumo ao oeste do México, em um movimento que deve permanecer durante o dia.

    A expectativa é que a velocidade do furacão continue diminuindo conforme ele se desloca para áreas centrais do país.

    De acordo com o NHC, o Grace deverá se transformar em uma tempestade tropical nas próximas horas e se dissipar até domingo (22). O órgão alertou para riscos após a passagem do furacão, como maré alta, inundações e deslizamentos de terra.

    O Grace atingiu regiões como Veracruz, estado produtor de petróleo. Houve inundações em Ciudad Madero, no estado de Tamaulipas, onde está localizada a petrolífera estatal Pemex.

    Leia Mais

    Por que o Talibã não é nem de esquerda nem de direita