Fonte: OpenWeather

    Goiás


    Moradores constroem presídio em Goiás para combater insegurança

    Prisões construídas pelos moradores ficam mais baratas do que as erguidas pelo governo do estado

    A atual Casa de Prisão Provisória conta com 370 detentos | Foto: Divulgação

    Por causa das constantes fugas na Casa de Prisão Provisória (CPP) da cidade de Rio Verde, no estado de Goiás, moradores decidiram arrecadar dinheiro e construir um novo presídio, com melhor estrutura e mais afastado do centro do município.

    “A unidade está em condições lamentáveis de estrutura, superlotada. E isso oferecia um risco a todos”, explicou Ivo Marques de Moraes Júnior, presidente da Associação Comercial e Industrial de Rio Verde, ao portal G1 Goiás.

    A primeira ideia, em 2016, era de apenas mudar a localidade da CPP. Os moradores, junto à Associação, procuraram o Tribunal de Justiça para apresentar um modelo de presídio, conseguindo levantar parte do orçamento de R$ 8 milhões com o próprio Tribunal e com o Ministério Público. 30% dos custos ficará com a Associação.

    “Durante as reuniões, montamos um complexo que também vai ter uma colônia agrícola e industrial para que os presos possam trabalhar, se ressocializando e também diminuindo suas penas”, afirmou Ivo.

    A atual Casa de Prisão Provisória conta com 370 detentos, 200 a mais que sua capacidade. O projeto do novo presídio é de 465 vagas, sendo 365 para os presos que aguardam julgamento e as restantes para aqueles em regime semiaberto.

    “O que eles estão fazendo é um verdadeiro exemplo de cidadania. Como o Estado não conseguiu acompanhar essa demanda da população, eles buscaram soluções alternativas para resolver a questão”, afirmou o juiz Eduardo Alvares de Oliveira, da 1ª Vara Criminal de Rio Verde.

    Quinze presos estão trabalhando na construção do presídio após passarem por capacitações de pedreiro e encanador. Após a construção, o governo do estado cuidará do local.

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Após chacinas, comissão federal detecta violações em presídio do AM

    Deputados apresentam relatório sobre crise nos presídios do AM