Fonte: OpenWeather

    Rio de Janeiro


    Bilhete: Mulher 'salva' jovem ao notar que ela estava sendo assediada

    Mulher percebeu que Thaíza Paula estava sendo importunada por um desconhecido e ofereceu ajuda

    Bilhete entregue por Camila a Thaíza | Foto:

    A história de um bilhete dado por uma desconhecida a uma jovem em um ônibus do Rio viralizou na Internet nos últimos dias. O caso aconteceu com a auxiliar de dentista Thaíza Paula, no último dia (13), e chamou a atenção pela solidariedade entre as duas mulheres. Na ocasião, Thaíza estava a caminho do trabalho quando um homem sentou ao seu lado e não parava de olhar para ela.

    "Ele não tirava os olhos de mim, nem disfarçava. Eu já estava ficando incomodada com aquilo. A vontade de levantar e sair de perto, era grande. Mas o medo do próprio tentar fazer alguma coisa para impedir era maior ainda. O homem, além de não parar de me olhar, ficava o tempo todo olhando para trás e para os lados do ônibus (inquieto)", ela compartilhou a história, em seu perfil no Facebook.

    Foi quando a auxiliar recebeu a "ajuda" de uma mulher que estava sentada atrás dela e percebia tudo. A desconhecida até então, agora identificada como Camila, lhe entregou um pequeno bilhete com os seguintes dizeres:

    "Moça, mexe na sua orelha direita se esse cara ao seu lado estiver te incomodando. Meu nome é Camila e você pode fingir que me conhece", ela escreveu.

    Thaíza, então, aceitou a ajuda e foi para o banco de trás, sentando-se ao lado de Camila, fingindo ser sua amiga. A auxiliar disse diante de sua ação o homem "ficou sem entender nada e logo em seguida desceu do ônibus". 

    As duas trocaram WhatsApp, quando a Thaíza aproveitou para agradecer Camila novamente. "Jamais esquecerei desse dia", a auxiliar enviou. "Espero que você e nem ninguém passe por esta situação ou algo parecido", Camila respondeu.

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Homem morre ao tentar tirar selfie em passarela de linha férrea

    Assassino disparou 13 tiros em Rafael Miguel e nos pais dele