Fonte: OpenWeather

    Crime


    Gerente que abusou e matou mulher é condenado a 30 anos de prisão

    Willy Liger utilizou um taco de beisebol para agredir e estuprar a vítima

    Willy Liger violentou a vítima, antes de assassina-lá | Foto: Divulgação

    O gerente de bar Willy Liger foi condenado a mais de 30 anos de prisão por estuprar e matar Debora Melo com golpes de taco de beisebol em 2016. De acordo com a acusação feita pelo Ministério Público, Liger violentou a vítima, antes de assassina-lá. 

    Julgado pela 1ª Vara do Juri, no Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo, Liger foi condenado por homicídio e também nas qualificadoras apresentadas pela acusação, como meio cruel, sem dar chance de defesa à vítima; motivo torpe e feminicídio. Ele irá cumprir a pena em regime fechado. 

    Debora Melo, na época com 23 anos, conheceu Willy Liger em uma casa noturna na região da Mooca. Ela estava com uma amiga e, Liger com dois clientes do bar onde ele trabalhava como gerente. Após alguns horas, o grupo decidiu ir até o local onde o acusado trabalhava. Em dado momento, Debora e Willy ficaram sozinhos no estabelecimento, momento em que Debora sofreu uma tentativa de estupro por parte do criminoso. Ao reagir as investidas, a jovem foi assassinada com golpes de bastão.

    Após o crime, Willy Ligar fugiu do local e ligou para o primo, dono do estabelecimento, informando sobre o acontecido. Foi o primo que acionou a polícia e encontrou Debora já sem vida. 

    Para o promotor de justiça do caso, Felipe Zilberman, a condenação de 30 anos e seis meses em regime fechado "foi exemplar e rigorosa como deveria ser". 

    "foi um crime de extrema brutalidade, com um grau de violência muito acima do que normalmente acontece, inclusive em crimes graves como esse.", afirmou, Zilberman.

    Veja o vídeo: