Fonte: OpenWeather

    Morte


    Flávio Bolsonaro divulga vídeo com autópsia de miliciano morto

    Flávio não foi o único membro da família Bolsonaro a falar sobre o caso nesta terça-feira

    Flávio não foi o único membro da família Bolsonaro a falar sobre o caso
    Flávio não foi o único membro da família Bolsonaro a falar sobre o caso | Foto: Divulgação


    Através de uma publicação no Twitter, o deputado Flávio Bolsonaro compartilhou, nesta terça-feira (18), um vídeo que seria da autópsia do corpo de Adriano de Nóbrega. Nele, o corpo é exposto com, segundo o deputado, "sete costelas quebradas", além de ter recebido "coronhada na cabeça, queimadura com ferro quente e dois tiros à queima-roupa" (as imagens são fortes).

    Flávio não foi o único membro da família Bolsonaro a falar sobre o caso nesta terça-feira. O pai, Jair, também se pronunciou, na porta do Palácio da Alvorada. "Foi queima de arquivo. Interessa a quem a queima de arquivo, a mim? A mim, não", afirmou o presidente, que continua. "Já tomei as providências legais para que seja feita uma perícia independente".

    O corpo de Adriano continua no Instituto Médico Legal do Rio de Janeiro. Por determinação da 4ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, o IML não está mais obrigado a conservá-lo sob refrigeração. Isso representa uma reviravolta, já que, na semana anterior, outro juiz ordenou que o corpo fosse mantido de forma íntegra para uma eventual perícia.

    Ex-capitão do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e expulso da Polícia Militar, Adriano foi morto numa fazenda no último dia 9, durante uma operação policial. Ele era apontado como chefe de um grupo de milicianos investigado pelos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em 2018.

    O Ministério Público da Bahia pediu outro exame de necropsia para descobrir a trajetória dos tiros. O que os promotores querem saber é se Adriano morreu em confronto, como diz a polícia, ou se foi executado. Por enquanto, a família decidiu não enterrar o corpo, que deve ser encaminhado a uma funerária para conservação.