Fonte: OpenWeather

    Santarém


    Adolescente de 16 anos envenena quatro pessoas da família no Pará

    ‘Tenho medo dela’, diz mãe de menina de 16 anos que envenenou família no Pará

    Vítmas foram levadas
    Vítmas foram levadas | Foto: Reprodução

    SANTARÉM - Uma adolescente de 16 anos de idade, moradora na comunidade em Santarém, envenenou quatro pessoas de sua família, na noite do último sábado (9). A garota que não teve o nome divulgado, envenenou a mãe, Simone Leal Galúcio, de 43 anos de idade, três irmãos de 7, 10 e 12 e um primo de 2 anos, com uma substância colocada no suco, com intenção de matar a família.

    Conforme a mãe da adolescente, no fim da tarde de sábado a filha preparou dois bolos e suco para a família comemorar o Dia das Mães e os serviu antes do jantar. Apesar de não estar com fome, a adolescente insistiu que a mãe tomasse o suco.

     A mulher disse ainda, que a filha envenenou a família, porque ela e o marido não concordavam com o namoro dela.  “Ela me chamou e disse para tomar o suco. Nisso, eu abri a geladeira, peguei a jarra, coloquei no copo e tomei. Também dei aos outros meus filhos, e eles entraram para assistir televisão“.

    A mãe diz ainda que minutos depois um dos filhos começou passar mal, ela então foi vestir uma roupa para levar o menino no hospital, e repentinamente, desmaiou. Todos os quatro envenenados foram levados para o Hospital Municipal Alberto Tolentino Sotelo.

    A mãe disse na delegacia ter medo da própria filha. “Ela disse para a tia dela que não se arrepende, ela é uma pessoa muito fria, tenho medo dela”.

    A mãe disse ainda não esperar passar por isso no Dia das Mães.

    "

    Estava tudo envenenado, a sorte é que não comemos os bolos. Eu como mãe me sinto muito triste. No dia das mães aconteceu isso. Eu não esperava ver meus filhos praticamente mortos pela própria irmã. Ela vai ter que pagar o que ela fez, eu não volto atrás "

    Simone Leal Galúcio, Mãe da adolescente

    A mãe da adolescente, foi liberada do hospital no dia das mães e foi direto para a delegacia, onde aos prantos, disse que estava arrasada por tudo que aconteceu, revelou que agora está com medo da filha.

    A adolescente foi levada à Seccional, para escuta especializada na Delegacia Especializada da Criança e Adolescente.

    Conforme o delegado que recebeu o caso, Jair Castro, ela responderá pelo ato infracional análogo ao crime de envenenamento por substância não alimentícia, com reclusão de até três anos.