Fonte: OpenWeather

    LÍDER INDÍGENA


    Com depressão, Cacique Raoni está internado em hospital do Mato Grosso

    Líder indígena é uma das principais personalidades defensoras da causa ambiental e já foi cotado para o prêmio Nobel da Paz

    Cacique perdeu a mulher há um mês
    Cacique perdeu a mulher há um mês | Foto: Internet/National Geographic Brasil

    Manaus - O Cacique Raoni, sem idade definida legalmente, líder indígena da etnia Caiapó, está internado em um hospital particular na cidade de Colíder (MT), cerca de 600 km de Cuiabá. Desidratado e desnutrido, o indígena foi diagnosticado com estado depressivo, mas já está com a saúde estável, embora, ainda, não haja previsão de alta. A informação é da revista Veja.

    No último dia 24, a esposa de Raoni, Bekwyká, faleceu, o que é apontado pelos médicos como uma possível causa do quadro depressivo do indígena. Ela tinha diabetes avançada e dificuldades para enxergar e andar. Ela e Raoni estavam casados há 89 anos. 

    O indígena que faz parte do grupo de risco da Covid-19, chegou a realizar testes para saber se estava com o novo coronavírus, mas a possibilidade de infecção foi descartada após uma tomografia do pulmão. 

    Repercussão

    A notícia da internação do Cacique foi divulgada na tarde deste sábado (18), mas já foi comentada por lideranças políticas. A deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ) foi uma delas.

    "Soubemos hoje da internação do Cacique Raoni, que apresentou um quadro depressivo após a morte de sua esposa, há um mês, em decorrência da diabetes. Nossa solidariedade a esse reconhecido líder da etnia Kayapó e da luta pelos direitos dos povos indígenas. Esperamos sua melhora", escreveu a parlamentar, no Twitter.

    A jornalista indígena Karibuxi (@karibuxi no Twitter), também comentou a internação da personalidade mundial. Ao anunciar o ocorrido, a comunicadora desejou melhoras ao indígena e informou que o Instituto Raoni associou a depressão dele à morte recente da esposa.

    "Segundo a direção do Instituto Raoni, o cacique apresentou um quadro depressivo após a morte da mulher dele, há um mês. Ela tinha diabetes. Raoni teve complicações gastrointestinais e desidratação. Toda força e apoio ao grande cacique Raoni", escreveu ela.

    Quem é Raoni

    Raoni é conhecido mundialmente por sua luta em favor da causa ambiental e já foi cotado para o prêmio da Paz, no ano passado. A biografia do indígena é contada em seu site oficial. 

    A data exata de nascimento do indígena é um mistério, mas acredita-se que tenha sido por volta de 1932. O líder nasceu em um vilarejo chamado Krajmopyjakare, no Mato Grosso (MT), pertencente à etnia Caiapó. 

    "Raoni. Com este nome só, evoca-se todo o mistério e o poder do povo Caiapó, do qual ele é um dos guias. Obstinado e insubmisso, esse chefe carismático leva há 4 décadas uma verdadeira cruzada para tentar salvar a floresta amazônica que o viu nascer. Pai fundador do movimento para preservação das últimas florestas tropicais, patrimônio inestimável da humanidade, ele arriscou muitas vezes sua vida por essa nobre causa", diz o trecho inicial de sua biografia.

    No ano passado, o Cacique procurou a ajuda de Emmanuel Macron, presidente da França, para pedir ajudar na defesa da Amazônia. Por essa razão, foi chamado pelo presidente Jair Bolsonaro de "massa de manobra". Bolsonaro e Macron não se dão bem desde a crise das queimadas na Amazônia, em 2019. 

    Leia mais

    Polícia captura Vela, acusado de decapitar e esquartejar vítimas no AM

    Mulher é agredida pela família por causa do Auxílio Emergencial