Acidentes de Trânsito


73% das indenizações para crianças e adolescentes foram por invalidez

Dados revelam, ainda, que as motocicletas foram responsáveis por quase 60% dos acidentes envolvendo crianças e adolescentes

O levantamento da Seguradora Líder mostra, ainda, que a cobertura para reembolso de despesas médicas e suplementares indenizou 14% | Foto: Divulgação

Representando cerca de 25% da população brasileira, as crianças e os adolescentes na faixa etária de 0 a 17 anos têm sido vítimas constantes de acidentes de trânsito. Neste dia 12 de outubro, quando se comemora o Dia das Crianças, a Seguradora Líder alerta para o alto índice de casos de invalidez permanente entre esta parcela da população.

Dados do Seguro DPVAT mostram que, de janeiro a agosto de 2020, mais de 7,7 mil acidentados nesta faixa etária foram indenizados no país e, desse total, 73% (5.707) ficaram com sequelas permanentes após a ocorrência e foram indenizados pela cobertura de invalidez.

O levantamento da Seguradora Líder mostra, ainda, que a cobertura para reembolso de despesas médicas e suplementares indenizou 14% (1.135) das vítimas infanto-juvenis. Os outros 12% (957) dos benefícios foram destinados aos familiares das vítimas que não sobreviveram aos acidentes.

Na dianteira das ocorrências com menores de idade estão as motocicletas (57%), totalizando 4.485 sinistros pagos. Os automóveis aparecem em seguida, com 2.631 indenizações. Já os caminhões e pick-ups foram responsáveis por 453 ocorrências indenizadas, enquanto ônibus, micro-ônibus e vans registraram 194 pagamentos, e os ciclomotores responderam por 36 sinistros.

Para o diretor de Operações e TI da Seguradora Líder, Iran Porto, o levantamento realizado serve como um alerta aos responsáveis e aos próprios jovens. "Além dos cuidados ao conduzir crianças e adolescentes como passageiros, é preciso redobrar a atenção nas vias públicas. Para se ter uma ideia, cerca de 4.300 crianças e adolescentes estavam na condição de pedestres quando se acidentaram", chama a atenção o executivo, ressaltando que é fundamental que os adultos fiquem atentos e respeitem as medidas de proteção.

"Se compararmos o total de indenizações pagas pelo Seguro DPVAT este ano às crianças com idades de 0 a 7 anos, e em de 2008, ano que o uso da cadeirinha passou a ser obrigatório no país, é possível observar uma redução de 50%", observa Iran.

Neste ano, os estados com os cenários mais preocupantes em termos de acidentes envolvendo menores de idade são: Minas Gerais, que lidera o ranking com 881 indenizações pagas; São Paulo, com 786 registros; e Ceará, em terceiro lugar com 550 sinistros; Já Amapá, Acre e Distrito Federal, foram as unidades federativas que registraram os menores índices, com 16, 30 e 51 ocorrências, respectivamente.