Fonte: OpenWeather

    Candida auris


    Brasil registra primeiro caso de infecção por superfungo fatal

    Paciente internado em UTI foi diagnosticado com o Candida auris, que apresenta resistência a diversos medicamentos e pode levar à morte

    Em 2017, Anvisa emitiu um comunicado de alerta sobre o fungo
    Em 2017, Anvisa emitiu um comunicado de alerta sobre o fungo | Foto: Fernando Zhiminaicela/Pixabay

    A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu um comunicado de alerta após confirmar o primeiro caso de infecção por Candida auris, fungo que representa uma grave ameaça à saúde global, no país. O diagnóstico ocorreu em um paciente adulto que estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em um hospital da Bahia. 

    O C. auris sobrevive em ambientes hospitalares e, portanto, a limpeza é fundamental para o controle. A descoberta (do fungo) pode ser uma questão séria tanto para os pacientes quanto para o hospital, já que o controle pode ser difícil", explicou a médica Elaine Cloutman-Green, especialista em controle de infecções e professora da University College London (UCL).

    Conforme dados divulgados pela Anvisa, o superfungo apresenta resistência a vários medicamentos antifúngicos e pode causar infecção em corrente sanguínea. Segundo a agência, os sintomas mais comuns incluem febre, fadiga e dores musculares, que se não forem devidamente tratados podem levar à morte, especialmente se o paciente tiver outros problemas de saúde.  

    A identificação do Candida auris também requer métodos laboratoriais específicos, já que pode ser facilmente confundido com outras espécies. Para confirmar a presença do fungo, a equipe submeteu a amostra coletada a duas análises, realizadas no Laboratório Central de Saúde Pública Professor Gonçalo Moniz (Lacen-BA) e no Laboratório da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFM-USP), que identificaram o microrganismo na ponta do cateter do paciente.

    Para acompanhar o caso e evitar a disseminação da doença em território nacional, representantes dos serviços de saúde e da vigilância sanitária da Bahia organizaram uma força-tarefa nacional. Em nota, a Anvisa reiterou que trabalha "para contemplar a nova situação epidemiológica no país", além de recomendar que os "laboratórios de microbiologia estejam alertas às orientações". 

    Alerta de Candida auris no mundo 

    Em 2017, a Anvisa emitiu um alerta sobre o fungo após relatos de surtos da doença causada pelo C. auris na América Latina. À época, a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgaram um comunicado solicitando que as autoridades sanitárias adotassem medidas de prevenção a fim de combater a propagação.

    O Candida auris foi identificado como causador de doença em humanos em 2009, após seu isolamento em um paciente japonês. Desde então, infecções pelo superfungo ocorreram em vários países, incluindo Japão, Coreia do Sul, Índia, Paquistão, África do Sul, Quênia, Kuwait, Israel, Venezuela, Colômbia, Reino Unido, Estados Unidos e Canadá. 

    De que forma ocorre a transmissão do Candida auris? 

    Segundo o alerta publicado em 2017, a forma exata de transmissão do fungo ainda não foi identificada. No entanto, evidências iniciais revelam que isso pode ocorrer após o contato com superfície ou equipamentos contaminados, ou de pessoa para pessoa.  

    *Com informações do site SBT News 

    Leia mais 

    Conheça a doença misteriosa que já matou 300 na Índia

    Governo suspende exames de HIV, aids e hepatites virais no SUS

    Estudo do AM caracteriza mecanismos que atuam na tuberculose