Fonte: OpenWeather

    149º Aniversário


    Juliano Moreira: o psiquiatra negro que revolucionou tratamentos

    Médico foi responsável por revolucionar o tratamento de transtornos mentais no país, chegando a ser considerado o “pai” da psiquiatria no Brasil

     

    Durante sua carreira, também participou de muitos congressos médicos e representou o Brasil no exterior, na Europa e no Japão
    Durante sua carreira, também participou de muitos congressos médicos e representou o Brasil no exterior, na Europa e no Japão | Foto: Domínio Público

    Juliano Moreira, no início do século 20, revolucionou o tratamento de pessoas com transtornos mentais no Brasil e lutou para combater o racismo científico e a falsa ligação da doença mental à cor da pele.

    Moreira, nasceu em Salvador em 1872. O profissional iniciou os estudos de medicina ainda criança, aos 13 anos, quando conseguiu integrar a Escola Baiana de Medicina. Se formou aos 19 anos e, aos 24, tornou-se professor de psiquiatria pela Universidade da Bahia. 

    O médico à frente do hospital nacional por quase 30 anos e ficou conhecido também por implementar reformas e tratar seus pacientes de forma mais humana. Em 1903, Juliano também foi coautor de uma lei que buscava melhorias nas condições de tratamento para pacientes no Brasil

    Moreira, era filho de uma mulher negra que trabalhava em uma casa de aristocratas na Bahia. Entre os relatos sobre a vida do médico estão destacados a condição de pobreza na origem dele e o fato de que passou por diversas dificuldades para entrar na universidade. Foi naquele momento que Moreira iniciou sua carreira e se tornou o fundador da disciplina psiquiátrica no Brasil.

     

    Quando era vice-presidente da Academia Brasileira de Ciências, Moreira recebeu Albert Einstein em sua primeira visita ao Brasil
    Quando era vice-presidente da Academia Brasileira de Ciências, Moreira recebeu Albert Einstein em sua primeira visita ao Brasil | Foto: Reprodução

    Moreira foi homenageado pela Google nesta quarta-feira (6), exibido com um Doodle, na página do buscador, a figura mostra uma ilustração do médico centralizada na marca do buscador. 

    Ele morreu em 1933, em Petrópolis, depois de ser internado para tratamento de tuberculose. Após o falecimento dele, um hospital psiquiátrico na Bahia foi batizado como Hospital Juliano Moreira.

    Leia Mais:

    Festival de circo 'Lona Aberta' abre inscrições para primeira edição

    Em projeto contemplado, artista plástica comanda oficina on-line

    Livro virtual gratuito conta história sobre a mitologia do povo Desana