Fonte: OpenWeather

    Caso Henry


    Software israelense foi fundamental na prisão de Jairinho e Monique

    Para a polícia, não há dúvida de que Henry Borel foi assassinado no início de março pelo padrasto e pela mãe

    Delegado Henrique Damasceno disse que a polícia encontrou uma conversa do dia 12 de fevereiro que relata agressões de Jairinho | Foto: Divulgação

    O delegado Antenor Lopes, diretor do Departamento Geral de Polícia da Capital (DGPC), disse que o software israelense Cellebrite Premium que recuperou mensagens apagadas dos celulares de Dr. Jairinho (vereador expulso do Solidariedade) e Monique Medeiros foi fundamental para a prisão do casal nesta quinta-feira (8). Para a polícia, não há dúvida de que Henry Borel foi assassinado no início de março pelo padrasto e pela mãe.

    “[O software] contribuiu de maneira muito importante para a investigação”, afirmou.

    A importância do uso do software na elucidação no caso foi antecipado pela colunista Berenice Seara, do jornal "Extra", na manhã desta quinta (8).

    Ainda durante a coletiva desta quinta (8), o delegado Henrique Damasceno disse que a polícia encontrou uma conversa do dia 12 de fevereiro que relata agressões de Jairinho.

    Por mensagens trocadas com Monique, a babá narrou em tempo real o que acontecia na casa no dia 12 de fevereiro. Segundo a conversa recuperada pela polícia, após ter ficado trancado com Jairinho em um dos quartos, o menino disse que levou uma rasteira e chutes.

    “Nós encontramos no celular da mãe prints de conversa que foram uma prova extremamente relevante, já que são do dia 12 de fevereiro. E o que nos chamou a atenção é que era uma conversa entre a mãe e a babá que revelava uma rotina de violência que o Henry sofria. A babá relata que Henry contou a ela que o padrasto o pegou pelo braço, deu uma rasteira e o chutou. Ficou bastante claro que houve lesão ali. A própria babá fala que o Henry estava mancando".

    O laudo da morte de Henry, levado pelo casal já sem vida a um hospital na madrugada de 8 de março, aponta sinais de violência. No dia, só Jairinho, Monique e a criança estavam no apartamento. O casal foi preso temporariamente nesta quinta-feira (8) por suspeita de homicídio duplamente qualificado de Henry e por tentar atrapalhar as investigações.

    *Com informações do G1