Fonte: OpenWeather

    Preconceito


    Vizinho faz carta pedindo a jovem para não usar “roupa vulgar”; veja

    “Crimes morais. Estou totalmente abalada com o ocorrido. Tomarei as providências cabíveis”, disse a jovem após receber a carta

     

    O remetente avisa que, se Ana Paula não mudar o jeito de se portar, ele irá conversar com a dona do apartamento
    O remetente avisa que, se Ana Paula não mudar o jeito de se portar, ele irá conversar com a dona do apartamento | Foto: Reprodução

    Segundo o estudo New Norms @ Work, do LinkedIn, que mostrou que 48% das mulheres brasileiras acreditam que são mais julgadas pelo que vestem no trabalho do que os homens. Embora o ambiente de trabalho seja apenas um dos problemas, mulheres também são julgadas em outro espaços por conta daquilo que vestem. 

    Um caso parecido aconteceu em Maringá, 428 quilômetros a oeste de Curitiba, no Paraná. Uma jovem de 22 anos recebeu uma carta anônima, escrita à mão por um “pai de família”, pedindo para ela deixar de usar “roupas vulgares” no condomínio onde mora.

    O bilhete foi deixado debaixo da porta de Ana Paula Benatti  na sexta-feira (7). A jovem compartilhou o conteúdo da carta em uma rede social.

    O remetente avisa que, se Ana Paula não mudar o jeito de se portar, ele irá conversar com a dona do apartamento.

    Ao compartilhar o bilhete, a jovem disse se tratar de assédio e injúria. “Crimes morais. Estou totalmente abalada com o ocorrido. Tomarei as providências cabíveis”, assinalou.

    Segundo o portal Uol Notícias, o caso foi denunciado nessa terça-feira (11) em um boletim de ocorrência na Polícia Civil do Paraná (PCPR).

    Veja trechos da carta

    A carta está escrita a mão e com letras em caixa alta. A escrita pede pudor e decência nas dependências do apartamento.

      “Não sei de onde veio, mais aqui mora gente de família. Então, por favor, dá-se o respeito, porque eu, como homem e pai de família, fiquei com vergonha de estar com minha filha e a senhora quase nua lá fora [sic]”  

     

    Leia a carta na íntegra
    Leia a carta na íntegra | Foto: Reprodução

    *Metrópoles

    Leia mais:

    Mulheres têm conquistas, mas caminho ainda é longo para igualdade

    Kely Key conta que sofreu preconceito por ser bonita