Fonte: OpenWeather

    Brasil


    Motoboy é preso pela 2ª vez em 3 anos por ter mesmo nome de traficante

    Alisson da Silva Monteiro tem mesmo nome de foragido da Justiça de Pernambuco

     

    Segundo o advogado de Alisson, o nome do rapaz ainda consta no Banco Nacional de Justiça como foragido
    Segundo o advogado de Alisson, o nome do rapaz ainda consta no Banco Nacional de Justiça como foragido | Foto: Reprodução

    O motoboy Alisson da Silva Monteiro, de 27 anos, foi preso injustamente, pela segunda vez, por ter o mesmo nome de um traficante foragido da Justiça. Ele passou a noite do último domingo (20) na 35ª DP (Campo Grande), na zona oeste do Rio de Janeiro, e foi solto nesta segunda-feira (21). 

      O advogado de defesa correu para evitar que Alisson fosse levado de novo para o presídio de Benfica, na zona norte do Rio de Janeiro, como aconteceu na primeira prisão injusta, em abril de 2019.  

    A defesa conseguiu que um contramandado de prisão fosse expedido, o que revogou a detenção baseada em informações erradas. No momento da prisão, Alisson apresentou à polícia o alvará de soltura antigo que ele levava no bolso, desde que foi preso pela primeira vez, mas não foi o suficiente. Ele foi liberado às 15h30. 

    Segundo o advogado de Alisson, o nome do rapaz ainda consta no Banco Nacional de Justiça como foragido. A Polícia Civil informou que não cabe à instituição atualizar dados no sistema de mandados.

    Prisão em 2019

    Alisson foi preso pela primeira vez em abril de 2019. Na ocasião, o rapaz ficou três dias encarcerado por crimes que não cometeu. O equívoco aconteceu porque Alisson tem o mesmo nome de um traficante de Pernambuco, que tem um mandado de prisão em aberto por crimes como associação com o tráfico e tentativa de homicídio. O motoboy foi preso por engano no lugar do traficante mesmo com diferenças físicas nítidas.

    O advogado de defesa do rapaz conseguiu provar a inocência dele e Alisson foi solto no mesmo ano da prisão. A Justiça corrigiu informações sobre o verdadeiro alvo do mandado de prisão, mas nem todo o sistema foi atualizado. 

    *Com informações do R7

    Leia Mais

    Homens acusados ‘injustamente’ podem acabar presos

    Casos da Covid-19 no sistema carcerário do AM sobem para 251