Fonte: OpenWeather

    Brasil


    Frio intenso provoca morte de ao menos 12 moradores de rua em SP

    Nove mortes foram registradas entre esta terça (29) e quarta-feira (30), quando massa de ar polar derrubou temperaturas

    Moradores de rua | Foto: Divulgação

    Ao menos 12 pessoas morreram devido às baixas temperaturas registradas na cidade de São Paulo desde o dia 21 de junho, de acordo com o MEPSR-SP (Movimento Estadual das Pessoas em Situação de Rua).

    Foram cinco óbitos na Sé, um na Baixada do Glicério, um nas proximidades do terminal Tiradentes e um no Pátio do Colégio, no centro. Além disso, houve duas mortes na Mooca, na zona leste e duas na Barra Funda, na zona oeste.

      Nove óbitos ocorreram nos último dois dias. Três na madrugada de terça-feira (29) e seis na de quarta-feira (30). Uma massa de ar polar derrubou as temperaturas na cidade. O Mirante de Santana, na zona norte, marcou temperatura mínima de 6,3°C, a mais baixa deste ano e a menor nos últimos cinco anos, de acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).  

    O fundador e presidente do movimento, Robson César, que trabalha na rede de apoio às pessoas em maior situação de vulnerabilidade social, afirma que todos os dias os colaboradores entregam alimentos e suprimentos para a população de rua, e que, nos últimos dias, foram feitos inúmeros relatos de pessoas que perderam companheiros devido às baixas temperaturas e à falta de moradia.

    O que diz a prefeitura

    A prefeitura afirma que as doze mortes não constam no sistema e que há ações sendo feitas para evitar as mortes nas ruas. 

    Por conta da nova forte onda de frio, a gestão municipal destacou o Clube Esportivo Pelezão, com 140 vagas, apenas para receber pessoas que aceitarem acolhimento proposto pelas equipes da Operação Baixas Temperaturas a partir desta quarta. As pessoas com suspeita de covid-19 serão encaminhadas para o Centro de Acolhida Emergencial da Vila Clementino.

    Na madrugada de quarta-feira (30), 227 pessoas foram acolhidas, houve 30 recusas e foram distribuídos 200 cobertores. Desde 30 de abril, foram contabilizados 10.744 acolhimentos, 779 recusas e 9.537 cobertores distribuídos.

    *Com informações do R7

    Leia Mais

    Igreja Chama Church promove ‘Dia do Amor’ com moradores de rua

    Moradores do Lago Azul voltam a pedir socorro por infraestrutura