Fonte: OpenWeather

    Pará


    Sete pessoas morrem após queda de torre de transmissão no Pará

    O acidente ocorreu entre os municípios de Anapu e Pacajá, no sudoeste do Pará

     

    A Secretaria Municipal de Saúde de Pacajá informou que seis pessoas morreram no local do acidente e uma no Hospital Municipal.
    A Secretaria Municipal de Saúde de Pacajá informou que seis pessoas morreram no local do acidente e uma no Hospital Municipal. | Foto: Reprodução/ TV Liberal

    Belém ( PA) - Sete pessoas morreram na queda de uma torre de transmissão de energia elétrica na tarde desta sexta (16) entre os municípios de Anapu e Pacajá, no sudoeste do Pará. A torre estava sendo construída.

    A Secretaria Municipal de Saúde de Pacajá informou que seis pessoas morreram no local do acidente e uma no Hospital Municipal. Ao menos outras cinco pessoas ainda estão recebendo atendimento médico na unidade. Ainda não há informações sobre o estado de saúde das vítimas feridas. 

    O Núcleo Avançado do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves de Tucuruí foi acionado para a remoção dos corpos, no entanto, nenhuma vítima foi identificada, até então.

    As autoridades em Pacajá também informam que a torre estava sendo construída por uma empresa particular, que faz parte de um projeto para levar energia elétrica da usina hidrelétrica de Belo Monte para o estado do Amapá. A assessoria da Norte Energia, responsável por Belo Monte, disse por telefone que a empresa não é terceirizada da concessionária.

    Testemunhas disseram que a torre ainda não estava finalizada e nem energizada no momento do acidente. Segundo os relatos, ao menos 26 pessoas estavam na torre no momento da queda.

    Em uma rede social, o governador Helder Barbalho (MDB) lamentou o acidente e disse que o governo "está dando toda assistência ao município de Pacajá, que fica próximo ao local do acidente", acionando o Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. As vítimas, segundo o governador, estão sendo encaminhados para o Hospital Regional da Transamazônica, em Altamira.