Fonte: OpenWeather

    Quádruplos


    Mãe esperava trigêmeas e foi surpreendida com mais um bebê no parto

    A família de Manaus, esperava pela chegada de três bebês mas a pequena Giovana quis fazer surpresa

    | Foto: Arquivo Pessoal

    A quarta bebê ainda permanece no hospital para ganhar peso
    A quarta bebê ainda permanece no hospital para ganhar peso | Foto: Arquivo Pessoal

    Manaus- Estava tudo arrumado para a família receber as trigêmeas em casa e no dia 27 de junho, as bebês chegaram após 32 semanas de gestação. O que ninguém previu, foi o nascimento de uma quarta criança, descoberta apenas na hora do parto. A surpresa da família viralizou na internet, e as quadrigêmeas de Manaus já possuem perfil nas redes sociais.

    A cozinheira Michelle Freitas, 38 anos é a mãe das quadrigêmeas idênticas e já tinha três filhos: duas mulheres e um garoto de 11 anos de idade. Após 11 anos tomando pílula anticoncepcional, ela descobriu que estava grávida em novembro de 2019 e foi quando toda essa aventura começou.

    “Sentia um mal-estar, uma indisposição. Pensei estar doente, cogitei síndrome de pânico, depressão ou qualquer outra enfermidade. Mas minha mãe sempre dizia, que eu estava grávida. Depois de três meses, fui ao médico e descobri que estava gestante de trigêmeas. Nunca fiz tratamento para engravidar. Fiz todo o pré-natal com o Dr. Fernando no Policlínica Codajás. Somando, foram oito ultrassons que tiramos, mas sempre apareciam três bebês”, contou a mãe.

    Em entrevista ao EM TEMPO, Michelle confessou que sentiu um certo desespero ao saber da gravidez de múltiplos. Ela já havia sofrido um aborto há alguns anos e feito uma promessa de não engravidar mais, porém, foi surpreendida pela natureza. 

    “Quando a médica começou o parto estávamos apreensivos, uma cesariana sempre é algo delicado. Ela começou a retirar as meninas, e começamos a contar. Uma, duas, três e foi quando a médica começou a dizer que tinha mais uma. Fiquei sem saber o que dizer, mas cheguei com a mamãe, ainda anestesiada e falei: ‘São quatro mãe’. No momento ela não entendeu, após o efeito da medicação que veio cair a ficha dela”, relatou Ana Flávia, a irmã mais velha.

    Chá de fraldas feito pela família para as, até então, trigêmeas
    Chá de fraldas feito pela família para as, até então, trigêmeas | Foto: Arquivo Pessoal

    Inacreditável

    Ninguém acreditava nesse quarto bebê. Os relatos da família são de alegria e nervosismo. “Algumas horas depois, o efeito da anestesia foi passando e tudo foi voltando ao normal. Achei que tinha ouvido errado, ou mesmo delirado ao ouvir a Ana Flávia falar que eram quatro bebês. Mas não, era isso mesmo. Decidimos colocar o nome da doutora que fez o parto na nossa filha, e por isso ela se chama Giovana”, contou Michelle.   

    As meninas choram, comem e fazem as necessidades na mesma hora. As tias, irmãs e avós tem ajudado diariamente no cuidado com as bebês. O pai, Charles Rodrigues, trabalha como carpinteiro e recebeu a notícia com tranquilidade e gratidão. Para ele, as quadrigêmeas são uma dádiva do alto.

    “As meninas são uma bênção de Deus para nossa vida. Vou trabalhar muito para o sustento de casa, mas isso não me preocupa. Só peço de Deus saúde para todos nós”, relatou o pai.

    A bebê surpresa

    Giovana Freitas nasceu com 969 gramas e permanece na Maternidade Balbina Mestrinho, situada no bairro Praça 14, zona Sul da capital. A pequena está com o estado de saúde estável, mas segue com os tratamentos específicos para prematuros estipulados pelas autoridades de saúde. Segundo a mãe, na segunda-feira (27), ela retorna para a maternidade para ficar com a filha. “Estamos orando pela recuperação da Giovana. Logo ela vai estar bem e fora do hospital se Deus quiser”, com fé declarou a mãe. 

    A quarta bebê ainda permanece no hospital para ganhar peso
    A quarta bebê ainda permanece no hospital para ganhar peso | Foto: Arquivo Pessoal

    Ajuda

    Diante dessa felicidade, a família tem recebido ajuda de amigos e familiares, tanto no cuidado diário quanto no financeiro. Estão realizando um documentário virtual pelo perfil no Instagram @quadrigemeasdemanaus e também estão com uma vakinha on-line em prol das irmãs idênticas. Quem quiser ajudar é só entrar neste link www.vakinha.com.br/vaquinha/quadrigemeas-de-manaus . Se preferir pode entrar em contato com a família pelo número: (92) 99627-8420.

    Dados no Amazonas

    Segundo as informações da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), o último registro de uma gestação quádrupla foi em 1999. São mais de 20 anos que, tanto na rede pública como privada, não há nota sobre nascimento de quádruplos. As meninas entram na história do Amazonas e somam para o relatório da Maternidade Balbina Mestrinho.

     De acordo com a unidade hospitalar, dois nascimentos triplos foram registrados somente neste ano de 2020 e todos foram de meninas. As trigêmeas nasceram entre os meses de junho e julho. A Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam), divulgou que em 2019 foram feitos 595 partos de gemelares no Estado e de 2017 a 2019, foram 947 nascimentos de gêmeos em Manaus.

    Leia Mais:

    Barracado Beijo 2 estreia nesta sexta (24) e sequência já é esperada

    Live vai debater sobre os riscos psicossociais do servidor público

    Em Parintins, grupo de jovens lança música ‘Pandemia’