Fonte: OpenWeather

    Intervenção Fotográfica


    Fotógrafa promove atividades gratuitas neste sábado (29) em Manaus

    O primeiro circuito de atividades será no Palacete Provincial, no centro da capital amazonense

    Intervenção Fotográfica "Olhar que te olha"
    Intervenção Fotográfica "Olhar que te olha" | Foto: Divulgação

    Manaus- Quem já passou pelo viaduto Miguel Arraes, na esquina da avenida Darcy Vargas, que dá acesso à rua Maceió, pôde observar a beleza da intervenção fotográfica “Olhar que te olha”, projeto idealizado pela fotógrafa Dani Cruz. A proposta, contemplada no Edital de Conexões Culturais 2017, da Prefeitura de Manaus, terá como contrapartida rodas de conversa abertas ao público, além de exibições de um documentário, no próximo sábado, (29), em locais e horários distintos.

    O primeiro circuito de atividades acontecerá às 10h, no Palacete Provincial, Centro, que vai receber a roda de conversa com o tema “Tópicos sobre desafios de produção versus processo criativo”, e a exibição de um documentário que mostra as pessoas fotografadas revelando seus medos, sonhos, alegrias e julgamentos que receberam ao longo da vida. Já às 14h, as mesmas atividades serão feitas no Instituto Cultural Brasil-Estados Unidos (ICBEU Manaus), também no Centro.

    “As atividades são voltadas para o processo produtivo das minhas abordagens, além de propor dicas sobre o que eu fiz ou o que eu teria feito diferente. É algo mais focado em pessoas da área mesmo, artistas em geral. Então, estarei à disposição para responder eventuais dúvidas”, explicou Dani Cruz.

    Para as pessoas que ainda não visitaram a intervenção, a obra ficará em exposição no viaduto por tempo indeterminado, e também conta com um painel interativo, na área com gramado, em que as pessoas podem escrever e deixar suas mensagens. O projeto "Olhar que te olha" é composto por 250 fotografias, exibindo pessoas anônimas, de diferentes idades, estilos e gêneros. Para a idealizadora, o intuito da intervenção ao ar livre é causar uma reflexão para a sociedade olhar além das aparências e também mostrar a beleza da diversidade.

    “Essa intervenção é uma ampliação da exposição que fiz em 2016. Para isso, abordei tanto pessoas na rua mesmo ou entrei em contato com elas pelas redes sociais para poder fotografá-las. Fiz isso para homenagear as pessoas que vivem em Manaus, e, para mim, expor na rua é democratizar a arte de maneira que ela sensibilize as pessoas. Estou tendo um retorno muito alto de pessoas me agradecendo e se emocionando”, declarou a fotógrafa.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Legado para as futuras gerações da arte no Amazonas

    Tem produção teatral no Amazonas? Tem sim senhor!