Fonte: OpenWeather

    Show


    'Baile do Nêgo Véio', de Alexandre Pires, chega a Manaus nesta quarta

    O show acontece no Copacabana Chopperia, na avenida do Turismo. Sucessos que marcaram os anos 90 fazem parte do repertório

    O repertório conta com grandes sucessos dos anos 90 | Foto: Divulgação

    Manaus - Os anos 90 foram marcantes para a música brasileira. Artistas como Tim Maia, Daniela Mercury, Cidade Negra e Chitãozinho e Xororó, por exemplo, deixaram o seu legado com canções que até hoje são sucesso em várias baladas.

    Estes e outros artistas fazem parte do repertório do “Baile do Nêgo Véio”, do cantor Alexandre Pires, que desembarca na capital amazonense nesta quarta-feira (4), véspera de feriado, para um show no Copacabana Chopperia, na avenida do Turismo, Zona Oeste de Manaus. A festa está prevista para começar às 21h. 

    Alexandre Pires traz como convidados o “Grupo Molejo” e os manauaras do “Vem K Sambar” e “DJ Daniel Barreto”. 

    Entre as diversas músicas escolhidas para compor o repertório especial, o mineiro apresenta “Cheia de mania”, do Raça Negra; "O canto da Cidade', de Daniela Mercury; “Domingo”, do Só Pra Contrariar e “Liberar Geral”, do Terra Samba. Músicas consagradas da carreira solo de Alexandre Pires também fazem parte da festa.

    Serão 3 horas de show
    Serão 3 horas de show | Foto: Divulgação

    Alexandre Pires contou ao Portal EM TEMPO da alegria em retornar à capital amazonense. “Amo cantar em Manaus, o povo manauara é um povo muito feliz, muito alegre e com uma energia incrível”, contou.

    O cantor ainda explicou que a ideia de realizar um baile nostálgico partiu após ele querer reunir grandes hits da carreira e do “Só Pra Contrariar”, grupo que ele fez parte, porém, o cantor percebeu que na época do auge de sua carreira, vários artistas e bandas também se destacaram nos anos 90.

    Esta mistura inclui músicas que vão do pagode ao axé, dos hits de bandas que fizeram sucesso com apenas uma música até canções que são sempre lembradas em qualquer reunião de amigos, independente da época. Tudo isso é apresentado em um show de três horas de duração.

    “O show é uma viagem musical aos anos 90. Passamos por axé, pagode, sertanejo, tudo feio com muito carinho. Foi difícil construir um repertório justamente por conta dessa época ter tanta produção de qualidade. Por isso acabou virando um show de três horas", declarou Alexandre.

    O cantor promete não deixar ninguém parado
    O cantor promete não deixar ninguém parado | Foto: Divulgação

    Projetos futuros

    O mineiro afirmou que seguirá com a turnê do projeto “Baile do Nêgo Véio”, porém, por possuir um extenso trabalho de músicas em espanhol, Alexandre contou com exclusividade ao EM TEMPO que pretende lançar um álbum com músicas neste idioma.

    “Tenho um trabalho solidificado de músicas em espanhol e não posso abandonar meu público latino”, confessou Alexandre.

    O cantor ainda afirmou que pretende realizar parcerias com outros artistas, porém não pode revelar nomes. “Isso ainda é um segredo (risos)”, brincou.

    Fãs

    Os fãs manauaras estão ansiosos para o show.A estudante de jornalismo Ingrid Sanzi Nunes lembra, emocionada, de um show que participou do cantor nos anos 90, quando ainda ele era integrante da banda ‘Só Pra Contrariar’ que ocorreu no Studio 5.

    “Era uma época muito agradável e gostosa. Eu gosto das músicas dele, pois contam a história de fatos que acontecem no dia a dia. Não usa palavras de baixo calão e falam da melhor parte do romantismo, mesmo que tenha altos e baixos. Hoje, Alexandre Pires está bem eclético no sentido dele juntar o samba com outros ritmos. Ele já usou salsa, merengue, mas a essência dele é sempre colocar a linguagem de origem, os costumes, que foi onde conquistou todo mundo”, revela.

    O cantor conversou com o EM TEMPO
    O cantor conversou com o EM TEMPO | Foto: Divulgação

    Outra fã do artista que está em contagem regressiva para vê-lo é a autônoma Adriana Reis. Para ela, além da boa música, guarda também o sorriso sempre cativante do cantor.

     “Eu sempre fui uma boba apaixonada e sempre gostei de músicas de amor. O Alexandre Pires sempre tinha um bom samba com uma história bem legal de amor, com um sorriso no rosto e com um ritmo suave e, assim, sempre me encantei com as músicas dele”, diz.