Fonte: OpenWeather

    Diversidade


    'Dança dos Continentes' retrata diversidade da América do Norte

    Pelo menos 400 estudantes do Colégio Amazonense Dom Pedro II participam do projeto

    A atividade é alusiva ao aniversário do Colégio que em 2019 completou 150 anos | Foto: Divulgação/Seduc-AM

    Manaus- Com o intuito de retratar a cultura e a diversidade dos continentes, os estudantes do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Amazonense Dom Pedro II, no Centro de Manaus, desenvolveram o projeto “Dança dos Continentes”. Durante o espetáculo, os estudantes apresentam danças tradicionais dos países que compõem a América do Norte. O evento acontece desde 2013 e tem se tornado referência artística para outras iniciativas.

    Pelo menos 400 estudantes de 10 turmas do 3º ano do Ensino Médio executam o projeto, divididos em equipes de ornamentação, dança, figurino, som e apresentação.

    De acordo com o gestor da instituição, David Martins, o projeto já se tornou tradição no colégio. Além de ser uma das atividades mais aguardadas pelos estudantes, a iniciativa promove ainda a interação de toda a comunidade escolar.

    400 estudantes de 10 turmas do 3º ano do Ensino Médio executam o projeto
    400 estudantes de 10 turmas do 3º ano do Ensino Médio executam o projeto | Foto: Divulgação/Seduc-AM

    “São sete meses até a culminância desse projeto, que produz uma aprendizagem significativa, pois é necessário que os estudantes realizem um trabalho de pesquisa sobre as características do referido continente. Durante a preparação, outros professores auxiliam a iniciativa, seja orientando, seja promovendo atividades de forma interdisciplinar”, disse.

    Após a realização das pesquisas, os estudantes, divididos em turmas, organizam seminários apresentando aos demais colegas as informações adquiridas nessa espécie de “viagem do conhecimento”.

    Para o professor Everton Cruz, um dos responsáveis pelo desenvolvimento do projeto, além da proposta principal, esta atividade visa ainda desenvolver a autonomia dos estudantes. “Nosso objetivo maior não é apenas a cultura, é também a prática da cooperatividade, do trabalho em conjunto, a solidariedade, e acima de tudo superar as dificuldades enfrentadas durante a execução do projeto”, afirma.

    Vale ressaltar que a atividade também é alusiva ao aniversário do Colégio que em 2019 completou 150 anos de sua fundação oficial.

    O estudante do 3º ano, Sebastião Machado Júnior, afirma que atividade é marcante e auxilia os colegas a desenvolver o trabalho em coletivo. “Sem dúvida, as principais lições que podemos levar desse projeto é o trabalho em unidade. Nós unimos forças e no final apresentamos um trabalho maravilhoso. Todo esse espetáculo é fruto do nosso esforço e dedicação, por isso é muito satisfatório ver que temos o reconhecimento e o aplauso de todos os presentes”, enfatiza.

    Dentre as apresentações, os estudantes reservaram um espaço para abordar um assunto de extrema importância no momento atual, a depressão.

    Eliete Lima da Silva, que esteve no colégio para prestigiar o filho, participante da iniciativa, falou da importância de discutir sobre o tema: “Eu me emocionei quando eles falaram sobre a depressão, achei muito importante que eles tenham pensado nesse tema”, conta.

    *Com informações da assessoria