Fonte: OpenWeather

    Rock in Rio


    Abertura do Rock in Rio tem manifestações e gritos para Bolsonaro

    Durante o show do DJ Alok a plateia gritou o nome do presidente em forma de protesto

    O DJ Alok fez o show de abertura do palco Mundo | Foto: Divulgação/Rock in Rio

    O Rock in Rio 2019 começou com força total nesta sexta-feira (27), e com manifestações políticas no palco – e na plateia. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi alvo de gritos de ordem durante apresentação do DJ Alok, enquanto que a vereadora Marielle Franco (PSOL), morta no ano passado, e a menina Ágatha, assassinada no último final de semana, foram homenageadas no primeiro show do dia. 

    Marielle Franco e Ágatha foram homenageadas durante o show da funkeira Lellê, que . A cantora exibiu no telão no início da apresentação, que abriu oficialmente o festival,  a última fala de Marielle enquanto ela estava na Câmara dos Vereadores, no Rio de Janeiro .

    “Não serei interrompida, não aturo ‘interrompimento’ dos vereadores desta Casa que não sabem ouvir uma mulher preta”, dizia Marielle, enquanto todos da plateia aplaudiam.

    Gritos para Bolsonaro

    Durante seu show, o DJ Alok entoou um discurso sobre amor: “É o seguinte: queria nesse momento aqui cantar uma coisa ‘pra’ vocês. Se vocês também acreditam que o amor é o caminho, que a gente deve amar o próximo como se não houvesse amanhã, dá um grito Rock in Rio. Sei que é muitas vezes difícil seguir esse caminho, não é fácil”, disse.

    “Mas vamos seguir o caminho do amor, porque é nele que a gente encontra a verdadeira felicidade. E ‘pra’ falar do amor não precisa ir muito longe. Vocês sabem muito bem o que não é amor. Então, exclui tudo que não é amor: a violência, o preconceito, as guerras, intolerância, e o que sobra é amor”, continuou Alok.

    Em seguida, o público cantou, em coro: “ei, Bolsonaro, vai tomar no c*”.

    O DJ, então, pediu “respeito acima de tudo” aos fãs.