Fonte: OpenWeather

    Cinema


    Dica da semana: O filme “O Regresso”

    Com uma fotografia e performances impressionantes, “O Regresso” conta a história de sobrevivência de Hugh Glass em busca de vingança

    O Regresso | Foto: Divulgação

    Baseado no livro homônimo de Michael Punke, “O Regresso” é um filme de 2016 que conta a incrível história de sobrevivência de Hugh Glass. Com direção de Alejandro González Iñárritu, conhecido por filmes como “Birdman” e “Babel”, o longa de 156 minutos de duração é uma superprodução, com um orçamento de US$ 135 milhões.

    Disponível na Netflix, o filme foi um grande sucesso na crítica, como pode ser observado por suas 12 indicações ao Oscar, tendo ganhando os prêmios de Melhor Ator, Melhor Diretor e Melhor Fotografia.  

    Com gravações nas geleiras do Canadá e da Argentina, um dos grandes desafios da produção foi rodar usando somente a luz natural, o que acabou por estender as gravações por nove meses, já que a equipe só conseguia filmar por pouco mais de uma hora por dia. Apesar do trabalho árduo, o resultado entregue para o espectador é sensacional, com imagens belíssimas, o filme possui uma fotografia digna do Oscar que recebeu. 

    O Regresso
    O Regresso | Foto: Divulgação

    Para além das partes técnicas, “O Regresso” se passa em 1823, no atual território de Louisiana, e conta a história do explorador Hugh Glass (Leonardo DiCaprio), que depois de sobreviver ao ataque de um urso é abandonado para morrer por seus companheiros de comitiva, que não conseguiam avançar com o ferido. Motivado pelo ódio e por um enorme desejo de se vingar, Glass vai superar uma série de obstáculos - naturais e psicológicos - em sua praticamente impossível saga por sobrevivência.

    Por si só, a história de “O Regresso” não foge muito dos filmes com temática de vingança. Porém, a força dos personagens, com destaque para o protagonista vivido por DiCaprio, somada à experiência sensorial proporcionada pelo diretor e sua equipe conseguem construir um filme imersivo e interessante, no qual o espectador se sente uma verdadeira testemunha ocular da jornada de Glass.

    Link para o trailer de “O Regresso”: https://youtu.be/S4PpYv9n0ko

    Infância extraordinária

    Nova série da Netflix retrata as dificuldades de se criar um filho com superpoderes

    Apesar das últimas décadas terem marcado importantes conquistas na luta pela igualdade de gêneros, o machismo velado na sociedade ainda é fonte de diversos preconceitos, entre eles, contra as mães solteiras. Como se não fosse difícil o suficiente ter de balancear as obrigações profissionais e financeiras com a maternidade, essas mulheres são cotidianamente julgadas pela situação em que se encontram. Agora, imagine que além de tudo isso, a criança em questão começasse a manifestar superpoderes dos quais não têm total controle ou entendimento, que despertam o interesse de organizações secretas e do governo. Com essa temática, chega dia 04 de outubro na Netflix a produção original “Criando Dion”. 


    Criando Dion
    Criando Dion | Foto: Divulgação

    Ao longo de nove episódios, a série acompanha a história de Nicole Warren (Aisha Wainwright), uma mulher que após a morte súbita e misteriosa do marido Mark (Michael B. Jordan), precisa abandonar de vez o sonho de uma carreira como dançarina profissional para criar seu filho de sete anos Dion (Ja' Siah Young).

    Apesar de contar com a ajuda de Pat (Jason Ritter), o padrinho do menino, nada seria capaz de prepará-la para o momento em que o garoto começa a manifestar superpoderes. O primeiro a aparecer é o teletransporte, depois começa a mover os objetos com a mente, projetar imagens de galáxias distantes, atrair eletricidade, entre outros. Porém, essas habilidades começam a chamar atenção indesejada de grupos que desejam conduzir experimentos em Dion. Dessa forma, Nicole terá a árdua tarefa de protege-lo do resto do mundo, que o enxerga como uma arma em potencial, enquanto tenta descobrir as origens de seus poderes.

    A série conta com a produção de Michael B. Jordan e é uma adaptação dos quadrinhos homônimos de Dennis Lui. Em 2015, a trama de “Criando Dion” foi apresentada ao mundo sob a forma de curta-metragem e recebeu elogios pela forma original como aborda um tema já desgastado na atualidade, os super-heróis.   

    Link para o trailer de “Criando Dion”: https://youtu.be/Z6koPaImHzY

    Acabou o bucolismo

    “Campo do Medo” chega à Netflix para arrepiar os espectadores no início do mês do Halloween

    Alguns gêneros literários têm grandes autores como referência imediata. Assim como Sir Arthur Conan Doyle e Agatha Christie para as histórias de detetive e J.K Rolling para o infanto-juvenil, Stephen King é o autor mais reverenciado dentro da literatura de terror, com milhões de cópias vendidas na carreira e diversas adaptações para o cinema.

    Dentre as mais impactantes estão “O Iluminado”, com Jack Nicholson, e “IT - A coisa”, que entrou em cartaz em 2017. Para pegar uma carona no renome do autor, a Netflix lançará “Campo do Medo”, adaptação de um dos best-sellers do autor com estreia marcada para 4 de outubro.

    A história gira em torno de Becky DeMuth, que está grávida, e seu irmão, Cal. Por conta do bebê que está por vir, ela decide se mudar para junto da família, no campo.

    Entretanto, no meio da viagem, os irmãos ouvem o grito de uma criança pedindo ajuda. Preocupados, os dois saem do carro e adentram uma região de grama alta em busca da criança em apuros. Mas eles nunca poderiam prever o que estava à espera deles naquele gramado. Como manda o roteiro de uma boa produção de terror, a música e as câmeras auxiliam ainda mais nos constantes momentos de tensão.

    Campo do Medo
    Campo do Medo | Foto: Divulgação

    O livro no qual o filme se inspira foi escrito também por Joe Hill, filho de Stephen, e, para quem conhece o estilo de ambos os autores, fica claro ao longo da obra mescla traços de cada um, de forma a criar uma narrativa instigante e extremamente original. “Campo do Medo” é um daqueles filmes que basta se manter fiel à história que tudo correrá bem. Visto que muitas das obras de Stephen já foram adaptadas para as telas, o conceito já foi bem testado e o autor é o mais conceituado no gênero, de forma a garantir que o filme tem tudo para ser um sucesso na plataforma, especialmente com o Halloween chegando.

    Link para o trailer de “Campo do Medo”:  https://youtu.be/XA-od7-JSfg

    Curta a página da coluna “Via Streaming” no Facebook em www.facebook.com/colunaviastreaming