Fonte: OpenWeather

    Carnaval


    Aparecida apresentará rituais durante desfile no Carnaval de Manaus

    ''A Aparecida passou por um sacrifício e agora vem em busca de sua glorificação em 2020'', destacou Saulo Borges, carnavalesco e ex-presidente da escola

    Neste ano, com seu enredo ‘’Rituais’’, a agremiação enaltece os vários tipos de crenças e costumes | Foto: Ione Moreno

    Manaus - O Carnaval se aproxima e os ensaios das escolas de samba já agitam a capital. O Grêmio Recreativo Escola de Samba Mocidade Independente de Aparecida (G.R.E.S.M.I.A) detém o maior número de títulos no Carnaval de Manaus, com 22 conquistas. Neste ano, com o enredo ‘’Rituais’’, a agremiação enaltece os vários tipos de crenças e costumes.

    A Mocidade Independente de Aparecida foi fundada no dia 15 de março de 1980, no bairro de Aparecida, na Zona Sul de Manaus, a partir de uma divisão da agremiação "Em Cima da Hora", que contava com uma ala chamada "Alô, Alô Aparecida".

    Era lá que desfilava Zezinho Pacheco, um jovem excepcional, que se tornou responsável pelo amor verde e branco que ocupa, hoje, os milhares de corações amazonenses. Seu nome e suas cores são inspirados na Mocidade Independente de Padre Miguel, do Rio de Janeiro.

    Enredo

    O atual carnavalesco e ex-presidente da escola, Saulo Borges, revelou que o enredo tem tudo a ver com o momento que a agremiação vive. Ele conta que há alguns anos, a escola passou por dificuldades relacionadas à crise financeira que abateu o país. A instabilidade diminuiu o valor da verba pública e fez desaparecer o investimento da iniciativa privada.

    ‘’A Aparecida sempre fez desfiles muito luxuosos e cheios de detalhe, com alegorias e fantasias cheias de acabamento. Quando a crise chegou, tivemos que fazer diversos cortes para que pudéssemos continuar em nossa trajetória’’, explicou o carnavalesco.

    Por isso, na opinião de Saulo, os rituais, que desde o início dos tempos se fazem presentes na história da humanidade e descrevem justamente o processo dos sacrifícios para que depois se alcance a glorificação, estão relacionados com o momento de renovação da escola. 

    Wilsinho de Cima, intérprete da escola, compartilhou que o samba-enredo deste ano conta com nove compositores e foi produzido durante vários dias de discussões para que tudo se encaixasse perfeitamente. ‘’Depois de pronto, gravamos no melhor estúdio do Rio de Janeiro, a Companhia dos Técnicos. É um samba fácil e já está na boca do povo’’, revelou Wilsinho.

     Wilsinho de Cima, intérprete da escola, compartilhou que o samba-enredo deste ano conta com nove compositores
    Wilsinho de Cima, intérprete da escola, compartilhou que o samba-enredo deste ano conta com nove compositores | Foto: Divulgação

    O coreógrafo premiado Gandhi Tabosa fará sua estreia na escola esse ano e confessou que sempre almejou estar na Aparecida, por seus grandiosos carnavais. ‘’Quando vi que o enredo falava sobre rituais, isso mexeu muito comigo, pois sempre gostei de estudar, na parte artística e espiritual, um pouco da essência africana e da ancestralidade. A escola está de parabéns e promete um grande ritual na avenida,’’ esclareceu o coreógrafo.

    O coreógrafo premiado Gandhi Tabosa fará sua estreia na escola esse ano e confessou que sempre almejou estar na Aparecida
    O coreógrafo premiado Gandhi Tabosa fará sua estreia na escola esse ano e confessou que sempre almejou estar na Aparecida | Foto: Divulgação

    Composição

    No dia 22 de fevereiro, a escola entrará na avenida com quatro carros alegóricos e cinco módulos alegóricos menores. Levará 24 alas, sendo que três delas serão coreografadas e irão compor elementos muito específicos do desfile. Além disso, a agremiação conta com a presença do coreógrafo Gandhi Tabosa na organização da comissão de frente. 

    No dia 22 de fevereiro, a escola entrará na avenida com quatro carros alegóricos e cinco módulos alegóricos menores
    No dia 22 de fevereiro, a escola entrará na avenida com quatro carros alegóricos e cinco módulos alegóricos menores | Foto: Adneison Severiano

    *Estagiária sob supervisão do editor Isac Sharlo