Fonte: OpenWeather

    Oscar 2020


    ‘E o Oscar vai para...’ Confira as previsões das principais categorias

    A cerimonia da premiação mais importantes do cinema acontece neste domingo (9)

    Os grandes vencedores serão conhecidos nesta domingo (9)
    Os grandes vencedores serão conhecidos nesta domingo (9) | Foto: Desiré Souza

    Manaus - A noite tão aguardada para o maior festival de prêmios do cinema chegou: o Oscar 2020. A cerimônia da entrega dos prêmios está marcada para acontecer às 21h deste domingo (8), no Teatro Dolby, localizado na cidade de Los Angeles, Califórnia (EUA).

    A cerimônia será transmitida pela TV Globo, após o BBB 20, como também pelo canal pago, TNT. Os assinantes de TV por assinatura ainda podem conferir a transmissão ao vivo pelo aplicativo TNT GO, disponível nas plataformas Android e iOS.

    Com base nas vitórias e nomeações em pré-premiações como “Globo de Ouro”, “BAFTA”, e sindicatos de direção e atuação, mais as especulações dos especialistas e críticos, o Portal EM TEMPO levantou um percentual das chances de cada nomeado levar o prêmio.

    '1917' é o candidato mais forte da categoria; e 'Parasita' vem logo em seguida
    '1917' é o candidato mais forte da categoria; e 'Parasita' vem logo em seguida | Foto: Arte por Desirée Souza

    Melhor filme

    Este é sem dúvida um dos melhores anos do Oscar em muito tempo. Qualquer um dos noves indicados à categoria principal tem a capacidade de levar a estatueta para casa. Contudo, a corrida tem se resumida a dois filmes: o drama épico de guerra “1917” e o longa multigênero sul-coreano “Parasita”.

    A produtora de “Parasita” tem realizado fortes campanhas para que o filme de Bong Joon-ho quebre os padrões da Academia e seja o primeiro filme de língua não-inglesa a ganhar a categoria de Melhor Filme. Porém, as premiações do BAFTA, Globo de Ouro e PGA consideradas como “termômetro do Oscar”, tornam o caminho mais fácil para que 1917 leva o título. 

    Sam Mendes é o mais provável a vencer como Melhor Diretor
    Sam Mendes é o mais provável a vencer como Melhor Diretor | Foto: Arte por Desirée Souza

    Melhor Diretor

    Em uma edição com nomes de peso nesta categoria e queridos de Hollywood como Martin Scorsese, Sam Mendes e Quentin Tarantino e com as brilhantes direções dos estreantes Todd Phillips e Bong Joon-ho que chegaram com filmes que certamente marcaram o ano no cinema.

    Por conta disso, os críticos acreditam que a Academia vai se render novamente às produções técnicas e os espetaculares planos-sequências. “1917” é uma experiência poderosa e impressionante, e que certamente vai garantir a Sam Mendes seu segundo Oscar na função (já tendo ganhado por seu primeiro filme, Beleza Americana). O cineasta britânico ganhou o Globo de Ouro, o BAFTA, Critic’s Choice e também o prêmio do DGA, sindicato dos Diretores.

    Joaquin Phoenix é o favorito para levar o prêmio
    Joaquin Phoenix é o favorito para levar o prêmio | Foto: Arte por Desirée Souza

    Melhor Ator

    Desde o anúncio que o ator Joaquin Phoenix seria o responsável por dar vida ao vilão mais icônico do Batman, o Coringa, já começavam a surgir especulações sobre uma possível vitória no Oscar.

    E esta aposta tem tudo para se concretizar, já que o ator ganhou praticamente todos os prêmios precursores (Globo de Ouro, SAG, BAFTA) e vem conquistando a todos com seus discursos honestos e despretensiosos.

    Será a segunda vez na história que atores diferentes ganham um Oscar pelo mesmo personagem fictício – Heath Ledger ganhou o prêmio por interpretar o Coringa em 2008. A última vez que isso aconteceu foi com Marlon Brando e Robert DeNiro que interpretaram o personagem Vito Corleone de “O Poderoso Chefão”.

    Assim como Phoenix, o prêmio já está quase entregue para Renée
    Assim como Phoenix, o prêmio já está quase entregue para Renée | Foto: Arte por Desirée Souza

    Melhor Atriz

    Estrelando o filme que segundo os críticos foi “feito especialmente para a Academia”, a atriz Renée Zellweger é a grande favorita pela performance transformadora como a estrela Judy Garland – ícone imortalizado de Hollywood. Ainda que o filme seja de qualidade bem inferior, a atriz se sai bem, principalmente quando Renée entrega atuações bem carregadas de drama e incluindo cenas em que a atriz canta os clássicos de Judy, como, por exemplo, a música do filme “Mágico de Oz” chamada “Somewhere Over The Rainbow. Assim como Phoenix, a atriz também tem o SAG, BAFTA, Globo de Ouro e incontáveis outros prêmios para garantir sua vitória.

    'Klaus' ganhou força no final da temporada de premiações
    'Klaus' ganhou força no final da temporada de premiações | Foto: Arte por Desirée Souza

    Melhor Animação

    No começo da temporada de premiações, o título de vencedor da categoria de Melhor Animação já estava quase entregue para a Pixar – produtora que conquistou o prêmio em quase todas as edições e neste ano não seria diferente por conta do elogiado “Toy Story 4”.

     Entretanto, o filme da Disney não ganhou nenhum prêmio importante até então. Os prêmios têm se concentrado na animação espanhola da Netflix, “Klaus”. A animação tem na equipe de produção o amazonense Gabriel Soares.

    O longa faturou o BAFTA e diversos prêmios no Annie Awards, premiação considerada o “Oscar da Animação”. Porém essa categoria ainda pode render surpresas, já que a animação da Laika Productions, “Link Perdido” foi o vencedor da categoria no Globo de Ouro.

    Pela primeira vez um documentário brasileiro é indicado a categoria
    Pela primeira vez um documentário brasileiro é indicado a categoria | Foto: Arte por Desirée Souza

    Melhor Documentário

    Todos os anos, a categoria de documentários traz surpresas no Oscar. Nesta edição não foi diferente, como, por exemplo, o brasileiro “Democracia em Vertigem”, dirigido pela cineasta Petra Costa. Porém os filmes que vem ganhando força são “Indústria Americana”, documentário da Netflix e produzido pelo casal Obama; e o chocante “For Sama”. O primeiro tem uma campanha forte da provedora de streaming por trás, enquanto o segundo tem o BAFTA como precedente.