Fonte: OpenWeather

    Oscar 2020


    Conheça ‘Parasita’, que desbancou ‘1917’ e fez história no Oscar 2020

    O longa-metragem foi o mais premiado da noite, recebendo os prêmios de melhor filme, melhor direção, melhor roteiro original e melhor filme internacional

    A equipe completa subiu ao palco para receber o prêmio mais aguardado da noite | Foto: Divulgação

    Manaus - O sul-coreano Parasita, dirigido por Bong Joon-ho, fez história na noite de domingo (9) no Dolby Theatre em Los Angeles, ao se tornar o primeiro filme a conquistar os prêmios de melhor filme internacional e melhor filme em uma edição do Oscar.

    Até então, apenas dez filmes tinham sido indicados às duas categorias, mas nenhum havia conseguido a dobradinha. Parasita também se tornou a primeira produção de língua não inglesa a levar o Oscar de melhor filme. Na modalidade mais aguardada da cerimônia, o filme asiático superou Ford vs Ferrari, O irlandês, JoJo Rabbit, Coringa, Adoráveis mulheres, História de um casamento, 1917 e Era uma Vez em...Hollywood.

    A família pobre perde a casa após forte chuva elogiada pela patroa
    A família pobre perde a casa após forte chuva elogiada pela patroa | Foto: Divulgação

    Ao todo, Parasita obteve quatro estatuetas na 92ª edição do Oscar: melhor filme, melhor filme internacional, melhor roteiro original e melhor direção, para Bong Joon-ho. O longa é uma tragicomédia que conta a história de uma família da classe baixa coreana que "se infiltra" em uma família mais rica.

    "Estou sem palavras. Nunca imaginamos que isto aconteceria. Estamos muito felizes", afirmou no palco Kwak Sin-ae, produtora de Parasita.

    'Parasita desbancou o favorito "1917", longa-metragem do diretor britânico Sam Mendes. O filme britânico, segundo os críticos, já estava predestinado a levar todos os prêmios. Porém só conseguiu conquistar os títulos nas categorias técnicas, como melhor fotografia, melhor mixagem de som e melhores efeitos visuais.

    'Parasita' aborda com maestria críticas sociais
    'Parasita' aborda com maestria críticas sociais | Foto: Divulgação

    Ao receber a estatueta de melhor diretor, Bong Joon-Ho estava visivelmente emocionado e demonstrou respeito aos concorrentes.

    "Estava pronto para relaxar. Obrigado. Quando era jovem, existia um ditado: 'o mais pessoal é o mais criativo'. Quando eu estava na escola de cinema, estudava os filmes de Martin Scorsese. Nunca achei que ganharia. Quando as pessoas não conheciam meus filmes em Hollywood, Quentin [Tarantino] sempre os colocava em suas listas. Todd Phillips e Sam Mendes, também grandes diretores. Se a Academia permitir, quero fazer um massacre da serra elétrica e dividir essa estatueta em cinco”, comentou o cineasta.

    Segundo o crítico cinematográfico do Cine Set, Caio Pimenta,  Bong Joon-Ho aborda um tema universal em que a sociedade toda está inserida: o capitalismo.

    “É uma produção que trata da busca incessante de ascensão social, enquanto os desníveis entre as classes só aumentam e a exploração da mão de obra sustenta este cenário. ‘Parasita’ traduz isso na tela desde a composição dos cenários de onde vivem cada personagem até pequenos gestos e falas culminando nas impactantes viradas presentes na história. Longe de discursos inflamados e vitimizações, Bong Joon-Ho cria um universo assustador a partir de um núcleo comum a todos: a família”, afirmou Caio em crítica especializada.

    O cineasta coreano fez história e foi o primeiro sul-coreano a levar duas estatuetas para casa
    O cineasta coreano fez história e foi o primeiro sul-coreano a levar duas estatuetas para casa | Foto: Divulgação

    Bong Joon-Ho também dirigiu filmes como “Okja” (2017), sobre uma garota que parte em uma jornada para resgatar seu animal de estimação e “Expresso do Amanhã” (2013), distopia sobre uma sociedade dividida em classes que vive dentro de um trem, além de “O Hospedeiro” (2006), Mother (2009) e Barking Dogs Never Bite (2000).

    O enredo que conquistou a academia e o mundo

    Parasita. A primeira impressão que vem à mente é que o longa-metragem irá tratar sobre um organismo que vive “às custas de outro” - o que não estaria totalmente errado. Mas, não se deixe enganar. O filme possui uma abordagem composta por várias camadas que demonstram e denunciam problemáticas sociais do mundo contemporâneo.

    Mas em que 'Parasita' se destaca? Primeiramente, um dos pontos que chamam a atenção de quem assiste é que o filme não é definido apenas por um gênero, mas sim por uma mistura deles.

    Em todos os festivais em que foi premiado, o cineasta subiu ao palco ao lado da tradutora
    Em todos os festivais em que foi premiado, o cineasta subiu ao palco ao lado da tradutora | Foto: Divulgação

    Apesar do gênero de drama predominar nas mais de duas horas de duração. É possível se divertir com situações colocadas propositalmente peloJoon-ho e, até mesmo ter reações de aflição com cenas regadas de suspense com elementos voltados para filmes de horror. Tudo isso organizado de uma forma para não cansar o telespectador e levá-lo ao desinteresse - algo que muitos filmes de um só gênero acabam causando.

    Outro ponto importante está na grande atuação quase metalinguística do elenco. Os personagens principais, que são os integrantes da família pobre acabam tendo que desempenhar papéis com interpretações convincentes para que a família rica não desconfie do golpe a qual estão submetidos.

    Uma cena que ilustra muito bem isso é quando o filho mais novo da família pobre ensaia com o pai o discurso que ele deverá para tentar convencer que a patroa demita a empregada e contrate a esposa dele no lugar.

    O pai, que atua como motorista, tentando convencer a demitir a empregada atual
    O pai, que atua como motorista, tentando convencer a demitir a empregada atual | Foto: Divulgação

    Quem são os verdadeiros 'parasitas'?

    No decorrer da trama, o telespectador pode acabar se questionando quem são os verdadeiros parasitas. A família pobre que está se aproveitando da ingenuidade da família rica. Ou a família milionária que explora com total frieza os serviços em que a família pobre se dispõe a fazer.

    O cineasta coreano consegue realizar essa crítica social com muita maestria, mostrando cenas em que aparecem as duas famílias em diferentes situações causadas pelo mesmo agente. Como por exemplo, a matriarca da família rica comentando sobre a forte chuva que, segundo ela, serviu como “um banho de renovação”. A mesma chuva destruiu a pequena casa da família pobre deixando-os sem abrigo. 

    Os cinemas de Manaus prolongaram as sessões de exibição
    Os cinemas de Manaus prolongaram as sessões de exibição | Foto: Arte por Desirée Souza

    Onde assistir

    Para os interessados em assistir “Parasita”, ainda é possível conferir nesta semana nos cinemas de Manaus. O longa está sendo exibido em sessões especiais nos cinemas Cinépolis do Shopping Ponta Negra, no Playarte do Manauara Shopping e no UCI Sumaúma Park Shopping. Todas as sessões são legendadas.