Fonte: OpenWeather

    Carnaval 2020


    ‘Primos da Ilha’ leva fé e proteção de São Jorge para avenida do samba

    Com o enredo "A Promessa de Capadócia aos Tambores Africanos: Salve Jorge", a escola entrou na avenida homenageando o Santo Guerreiro

    A escola pagou uma promessa a São Jorge
    A escola pagou uma promessa a São Jorge | Foto: Bruna Oliveira

    Manaus - A primeira escola do grupo Especial "Primos da ilha" abriu o desfile de carnaval do grupo especial em Manaus, debaixo de chuva, na noite deste sábado (22), no Centro de Convenções Professor Gilberto Mestrinho, Sambódromo, com o enredo "A Promessa de Capadócia aos Tambores Africanos: Salve Jorge", em homenagem ao Santo Guerreiro.

    A comissão de frente, fantasiada de vestes negras, representou as mazelas do mundo e São Jorge na luta contra o dragão. O carro abre alas trouxe São Jorge com espada, sem armadura. O casal de mestre-sala fantasiado com cores reais, em dourado e vermelho, simbolizava a armadura de São Jorge. Com muito entusiasmo, a ala das baianas encheu a avenida das cores azul e prata, num mar de luzes e gingado.

    O segundo carro, bem maior, cheio de luzes e com a cor dourada, trouxe a Capadócia, origem do santo guerreiro, para a arena do samba. 

    Carro abre alas e comissão de frente
    Carro abre alas e comissão de frente | Foto: Bruna Oliveira

    A escola inovou com passistas do sexo masculino entre as alas. Cinco passistas do sexo feminino e uma Mirim também estavam à frente da bateria e dos intérpretes da escola. 

    O enredo trouxe um sentimento de gratidão por se manter no grupo especial e o pagamento de uma promessa, além do sincretismo religioso. "Meu São Jorge, guie minha escola nos 70 minutos de desfile e não deixe que mal nenhum aconteça, que em promessa lhe honrarei com o enredo em 2020", uma referência ao desfile de 2019, no Sambódromo de Manaus, quando a escola enfrentou o desafio de desfilar debaixo de uma forte chuva, e conseguiram finalizar o enredo. Em honra a São Jorge, a escola apresenta-se com o tema, promessa feita por Werly de Medeiros, Presidente da Escola de Samba.

    Ala das Baianas
    Ala das Baianas | Foto: Bruna Oliveira

    O terceiro carro entrou com as religiões de matrizes africanas como destaque. A representatividade da religião foi a marca principal desta ala, levantando a arquibancada que acompanhou o desfile mesmo debaixo da chuva ,que caía no sambódromo. 

    A torcedora da escola Sandra Paiva acompanhava o desfile, com capa de chuva, em companhia da filha. "A escola está linda, tudo muito bonito", declarou emocionada.

    São Jorge lutando com os dragões
    São Jorge lutando com os dragões | Foto: Bruna Oliveira

    O quarto e último carro alegórico trouxe o cavalo do Santo como destaque e vários anjos com grandes asas.

    Escola veio pelo segundo ano seguido no grupo especial. Ao todo, havia 20 alas e uma média de 2 mil componentes. No ano passado, a agremiação terminou em 7º lugar entre as oito do grupo Especial. Neste ano, o carnavalesco Otávio Muniz, de Parintins, foi o responsável pela criação artística. "Temos uma grande responsabilidade por sermos a primeira escola a entrar na avenida e temos a obrigação de mostrar um bom carnaval, por isso trouxemos um carnaval com carros diferenciados", disse ele que teve a ajuda do artista Jander Lemos para confecção dos carros alegóricos.

    Ao final do desfile a vice-presidente da escola desfilou com a imagem de São Jorge. 

    A “Primos da Ilha” desfilou dentro do cronograma, não ultrapassando o tempo permitido, com bateria afinada e samba na ponta da língua. 

    A Primos da Ilha tem cerca de 30 anos, com sua base no bairro São Francisco, bairro da Zona Sul de Manaus.

    Ficha Técnica:

    Escola: GRC Primos da Ilha

    Enredo: " A Promessa da Capadócia dos Tambores Africanos, Salve Jorge"

    Fundação: 21/03/1990

    Componentes: 3.000

    Samba- enredo: "A Promessa da Capadócia aos Tambores Africanos, Salve Jorge"

    Entrada na Avenida: 20h