Fonte: OpenWeather

    Poesia


    Quem imaginaria viver um isolamento?

    Poesia traz reflexões e ensinamentos que a pandemia de coronavírus levantou

    A quarentena veio modificar e reinventar
    A quarentena veio modificar e reinventar | Foto: Divulgação

    Triste essa doença, essa pandemia,
    Não avisa como gato ou cachorro,
    O vírus mata, mas não late nem mia;
    Alguns enfermos pedem socorro...

    Surgiu em Wuhan, na China,
    Hoje está em qualquer esquina.
    Síndrome Respiratória Aguda Grave 2,
    Salve-se e cuide de nós dois...

    Peço a DEUS que nos proteja,
    Sei que, por nós, ELE peleja...
    No mundo muitos já partiram,
    Outros curados, sorriram...

    Quem imaginaria viver um isolamento?
    Quanto sofrimento no momento!
    Não apertar a mão, abraçar ou beijar,
    Confiar em DEUS e o ambiente arejar...

    Atenção ao que a OMS recomenda e diz!
    Evite levar as mãos a boca, olhos e nariz,
    Use máscara, cuide do próximo com coração,
    Água e sabão nas mãos é a solução...

    Não é “resfriadinho” ou “gripezinha”,
    Pode matar o vovô e a vovozinha.
    Entre o Presidente e o Mandetta,
    Fique em casa, viva e evite a valeta...

    É atenção com sabão e driblar a depressão,
    É cuidado com cidadão e usar o sabão;
    Na política, com os ladrões (...),
    Na internet, com os palavrões (...)

    O vírus atinge pessoas de todas as idades,
    Atinge as pré existentes e as comorbidades.
    O nome dele é o Convid-19,
    O mundo inteiro se comove...

    - Antes, aproximação, hoje, distanciamento;
    - Antes, aglomeração, hoje afastamento;
    - Antes, locomoção, hoje acomodação;
    - Antes, reunião, hoje descentralização.

    USA, Itália, França, Reino Unido, Espanha,
    Quem cura ganha; morre, apanha...
    No Brasil, o Presidente, uma vergonha,
    Diante de um povo que luta e sonha...

    Prejuízos teremos na economia,
    Por um vírus que mata, não late, nem mia.
    Use água sanitária no chão e em todos os lados,
    Com fé não temeremos nem seremos abalados...

    Fazenda, chácara, sítio, casa ou apartamento;
    O vírus mudou o mundo e nosso comportamento,
    Com uso de máscara e assepsia das mãos,
    Cuidar uns dos outros, somos todos irmãos...

    A quarentena veio modificar e reinventar;
    A internet, unir, reunir, contentar e orientar.
    Os planos devem ser respaldados pelo Altíssimo,
    E o homem não tem o controle por mais riquíssimo...

    O ar gratuito pelo qual não se paga,
    Faltou em pulmões por essa praga,
    Sendo preciso respiradores e entubar
    Por causa do vírus que veio perturbar...

    Temos a noção de pássaros engaiolados,
    Que antes voam leve como a paina no ar,
    O valor da reunião familiar e de andar colados,
    Outrora podendo um ao outro amar e visitar...

    Roupas, iates, veículos e jatos guardados,
    Pobres ou Ricos todos resguardados,
    Profissionais da saúde preocupados e equipados,
    Salvando vidas e alguns sendo contaminados...

    Cuidado com febre, tosse e dificuldade em respirar,
    Porque não se sabe aonde o coronavírus vai parar;
    Garganta inflamada, corrimento nasal, espirros ou diarreia;
    Mãos ao alto em busca de JESUS CRISTO, é ótima ideia!