Fonte: OpenWeather

    Sertanejo


    Cristiano Araújo, o eterno causador de ‘efeitos’

    Uma carreira meteórica e marcante, a morte precoce do cantor goiano fez o Brasil chorar, mas a música dele continua viva até hoje

    Cristiano Araújo era um dos grandes destaques da nova geração do sertanejo
    Cristiano Araújo era um dos grandes destaques da nova geração do sertanejo | Foto: Divulgação

    “O que temos pra hoje é saudade”. O ano era 2015. O relógio marcava pouco mais de 3h da manhã, do dia 24 de junho, quando o Brasil perdeu uma das vozes mais potentes da nova geração do sertanejo, o goiano Cristiano Araújo. Precoce na música, também se foi cedo demais, aos 29 anos, em um acidente de carro. Mas sua voz nem mesmo a morte calou. Admiradores relatam com saudosismo os “efeitos” causados até hoje por esse ídolo sertanejo.

    Cantor, instrumentalista e compositor brasileiro, Cristiano de Melo Araújo, o Cris, nasceu em Goiânia. De família de músicos, aos 9 anos já se apresentava em público e, aos 10, compôs sua primeira canção.

    O menino prodígio, aos 13 anos, gravou seu primeiro CD com cinco músicas, para participar do Festival do Faustão, e ficou entre os seis melhores da região Centro-Oeste, o que lhe deu o direito de gravar uma faixa no CD Jovens Talentos.

    Aos 17 anos, decidiu formar duplas. Seguiu assim por seis anos até 2010, quando assumiu carreira solo novamente. Com um projeto ousado, em 2011, Cris decolou. A Efeitos Tour 2011 explodiu no Brasil.

    De família de músicos, aos 10 compôs sua primeira canção
    De família de músicos, aos 10 compôs sua primeira canção | Foto: Rubens Cerqueira/Divulgação

    Explosão meteórica

    O álbum “Efeitos” contou com participações de artistas, como Jorge (da dupla Jorge& Mateus), e manteve-se nas paradas com a explosão da música “Efeitos”. O talento vocal e a invejável presença de palco de Cristiano, somados ao seu carisma, conquistaram uma legião de fãs. É o que diz Ana Abreu, uma das muitas admiradoras do cantor.

    “Cristiano de repente explodiu nas redes, tinha uma alegria e energia que contagiava. Era carismático e tinha ginga. Brincalhão demais. Não tinha como não se apaixonar”.

    Cris, ao concorrer no Garagem do Faustão, apresentou seu hit “Efeitos”, que emplacou no Brasil. E, por votação direta do público, o cantor conquistou a participação no Sertanejo Pop Festival 2012, realizado em São Paulo. Daí em diante, foi só colecionando sucessos.

    Neste mesmo ano, lançou o DVD “Ao vivo em Goiânia”, e, em 2014, gravou o DVD “In The Cities”. O primeiro vídeo desse novo DVD, ‘É Com Ela Que Eu Estou’, em poucos dias alcançou a marca de mais de um milhão de visualizações.

    O cantor era carismático e tinha uma presença de palco diferenciada
    O cantor era carismático e tinha uma presença de palco diferenciada | Foto: Divulgação

    Foram tantos hits. Quem não se lembra de “Mente Pra Mim”, “Empinadinha”, “Hoje eu Tô terrível”, “Caso Indefinido”, “Bará Berê” e a que não pode ficar de fora “Maus Bocados”, que se configurou entre as mais tocadas nas rádios em 2014, ficando em 11º lugar na parada anual segundo a Billboard Brasil.  

    Ao mesmo tempo que sua carreira decolava, assim se aproximava o dia de sua partida. Cris fazia em média 20 shows por mês. Um deles, do DVD “In The Cities”, estava programado para acontecer em Manaus, no dia 08 de novembro de 2014, no Diamond Convention Center. Mas, não ocorreu. A produtora musical Márcia Lima esclarece.

    “Ia ser o 1º show em Manaus. Marcamos um show no Diamond, Cris e outro convidado. O show não aconteceu porque a data coincidia com a prova do Enem. Daí foi cancelado. Seria transferido. Por fim, houve a tragédia que tirou a vida dele e, infelizmente, não houve mais retorno dele para Manaus, não deu tempo”, conclui.

    O brasileiro fez apresentações em três cidades dos Estados Unidos: Atlanta (na Geórgia), Newark (em Nova Jersey) e Boston (em Massachusetts). Também embarcou para a Europa e passou por Zurique (na Suíça), Bruxelas (na Bélgica) e Londres (na Inglaterra).

    Cristiano e o irmão, o também cantor sertanejo Felipe Araújo
    Cristiano e o irmão, o também cantor sertanejo Felipe Araújo | Foto: Divulgação

    Assim, o ídolo sertanejo reúne cinco grandes turnês: 2011–2012: Efeitos Tour; 2013–2014: Continua Tour; 2014: In The USA Tour; 2014: Europe Tour; 2014–2015: In The Cities Tour. E sua discografia é composta por três álbuns ao vivo, um de estúdio, e 14 singles.

    Em 2015, as músicas de Cristiano Araújo eram as mais ouvidas nas rádios do país. Infelizmente, também foi o ano em que o jovem, que cantando fazia as pessoas rirem, fez muitos chorarem e lamentarem a sua partida.

    Morte do cantor

    Na madrugada do dia 24 de junho de 2015, Cris voltava de um show, em Itumbiara, quando o carro que o trazia, um Range Rover, saiu da pista e capotou na BR-153. O cantor foi arremessado para fora do veículo junto com a namorada, Allana Moraes, de 19 anos. Ela faleceu no local.

    Também estavam no veículo o motorista e o empresário do cantor. Os três foram socorridos e levados ao hospital de Morrinhos. Devido à gravidade, Cris precisou ser transferido para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas não resistiu, morreu no caminho. O país parou para chorar pelo artista.

    Milhares de pessoas, incluindo cantores famosos, foram se despedir de Cristiano. O corpo foi sepultado no dia 25, no Cemitério Jardim das Palmeiras, em Goiás, ao som de seus maiores sucessos entoados pelos fãs emocionados.

    Cristiano conquistou milhares de fãs
    Cristiano conquistou milhares de fãs | Foto: Divulgação

    O Brasil se viu obrigado a enfrentar uma despedida inesperada. “Uma das cenas mais tristes, desse dia, é a de seu pai, sentado ao lado do túmulo no cemitério, inconformado, vendo tantos sonhos irem embora”, relata emocionada Ana Lima, uma das admiradoras do artista.

    Ivonete Pereira, de Venâncio Aires (RS), diz não acreditar que ele partiu e que se emociona até hoje ao ver os vídeos. “A simplicidade dele eu amo. E amo as músicas. Não acredito que ele está morto. Eu vejo os vídeos dele e me emociono muito. É triste. Morreu tão novo!, lamenta.

    A crônica de Zeca Camargo

    O luto seguiu-se de uma polêmica crônica do jornalista Zeca Camargo, na noite de domingo (28), na Globo News, sobre a comoção gerada pela morte do sertanejo.

    “De uma hora para outra, fãs e pessoas que não tinham ideia de quem era Cristiano Araújo partiram para o abraço coletivo. Como fomos capazes de nos seduzir emocionalmente por uma figura relativamente desconhecida?", questionou Zeca.

    Fãs e artistas protestaram nas redes sociais. Imagens de pessoas com mãos nos ouvidos e de um vaso sanitário com o nome do jornalista logo preencheram as timelines. Alguns o criticaram pela falta de conhecimento da cultura do seu próprio país e pediram que respeitasse as diferenças musicais. Posteriormente, Zeca Camargo se retratou.

    Os sucessos eternizados na voz do sertanejo são lembrados até hoje
    Os sucessos eternizados na voz do sertanejo são lembrados até hoje | Foto: divulgação

    Homenagem em Manaus

    No cair da tarde do dia 24 de julho de 2015, um mês após o falecimento, fãs amazonenses reuniram-se para homenagear o cantor e Alanna Moraes, entoando os hits de sucesso. Ao final, balões brancos subiam ao céu. O encontro aconteceu na Praça São Sebastião, em Frente ao Teatro Amazonas.

    O cantor amazonense Jyou Guerra participou da homenagem. “Tinha muita gente. Todos muito emocionados. Foi uma perda que ninguém esperava. Um baita artista e uma baita referência para qualquer cantor”, disse. “A humildade e a forma como Cristiano cantava era o que eu mais admirava nele”, complementa.

    Cristiano, que tinha o poder de causar efeitos, deixou um CD com músicas inéditas e sua imagem marcada na memória de cada um dos fãs, ou dos “cheiros”, como ele os chamava. Permanece vivo no coração de todos.