Fonte: OpenWeather

    Boi-bumbá


    Artista amazonense leva toada para evento on-line do Orgulho LGBTQIA+

    A artista preparou um repertório com toque tipicamente amazônico, incluído uma toada do boi-bumbá Garantido

    Marj participará da Global Pride
    Marj participará da Global Pride | Foto: Divulgação

    Neste domingo (28), a partir das 14h (hora Manaus), a cantora amazonense Marj participará da Orgulho LGBTQI Brasil, um evento inteiramente online. Para a apresentação, a artista prepara um toque tipicamente amazônico, com uma toada do boi-bumbá Garantido.

    “Rosas vermelhas é uma toada que mexeu comigo desde que, em uma reunião informal para apresentar o projeto Síncope, Lydia Lúcia, uma das representantes do boi Garantido, me apresentou a canção. Eu me apaixonei pela letra e força do tema”, contou Marj.

    Segundo a artista, a toada Rosas Vermelhas, composta por Enéas Dias, Marcos Moura e João Kennedy, representa um apelo muito forte à luta do grupo arco-íris. “Um trecho da toada diz Pelo fim da violência, do machismo e da homofobia, são desejos de Dandaras, Marielles e Marias’. Muitas pessoas se emocionam com essa música e vou cantá-la antes da viúva de Marielle Franco, Mônica Benício”, afirmou Marj.

    Para a cantora, participar do evento online do Orgulho LGBTQI Brasil é uma honra. Com o evento, ela poderá ter a oportunidade de cantar a regionalidade do Amazonas e também firmar a luta contra o machismo e a à homofobia junto à comunidade LGBTI+.

    Projeto abriu portas

    Em parceria com a fonoaudióloga Tatiana Medeiros, Marj fundou o projeto Síncope e, por meio dele, foi convidada para participar da Parada LGBTI+ no ano passado. Pelo projeto, sete artistas se apresentaram em um dos trios elétricos. Neste ano, o projeto Sincope deu suporte para oito artistas mostrarem sua arte, sob a produção fonográfica de Allan Vieira.

    O objetivo do projeto é desenvolver os artistas minimamente para que eles possam gerir suas carreiras e alçar voos maiores. “A ideia é fazer turnês com músicas autorais, regionais e nacionais, onde cada cidade abraçada pelo Síncope possa conhecer um pouco das outras cidades dos outros artistas”, explicou Marj. “O projeto consiste em ciclos de cinco shows, um em cada cidade natal de cada artista membro. Todos participam e ainda é possível dar oportunidade para novos artistas”, acrescentou.

    O projeto Síncope visa, também, a realização de oficinas abertas para a população em cada cidade que receber a turnê. Os temas são variados, entre eles empreendedorismo musical, direitos autorais para músicos, cuidados com a voz, marketing e produção musical.

    Parada Online

    Neste domingo (28), a partir das 14h, por iniciativa da Aliança Nacional LGBTI+, com realização da União Nacional LGBTI, o Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBTI do Rio de Janeiro, Associação da Parada do Orgulho LGBTI de São Paulo, Rede Trans Brasil, Fórum Nacional de Pessoas Trans Negras, Rede Gay do Brasil, Grupo Dignidade de Curitiba, Grupo Gay da Bahia, Associação Brasileira de Famílias TransHomoafetivas, Instituto Transformar, Câmara de Comércio e Turismo LGBTI e mais de 30 organizações parceiras de todo o Brasil, realizarão a live “Festival de Cultura e Parada Online do Orgulho LGBTI Brasil”.

    Serão 10 horas ininterruptas com diversas atrações culturais, saudações de personalidades, lideranças políticas, lideranças LGBTI e dos Direitos Humanos, relatos de pessoas LGBTI com histórias de superação. A transmissão da parada online vai ser pelo Facebook na página oficial da aliança lgbti.

    Leia mais: 

    Tenet é adiado novamente e ganha data de estreia em agosto

    Em mais de três décadas, pajés do Garantido relembram apresentações

    'O livro de ouro dos contos de fadas' reúne clássicos da literatura