Fonte: OpenWeather

    Festival Folclórico de Parintins


    Porta-estandartes: as belas mulheres que carregam o símbolo dos bumbás

    Com garra, desenvoltura, elegância, alegria e paixão, as musas que defendem os símbolos dos bois-bumbás são a energia da noite no Festival Folclórico de Parintins

    Atuais porta-estandartes do Garantido e Caprichoso
    Atuais porta-estandartes do Garantido e Caprichoso | Foto: Divulgação

    Parintins (AM) – Símbolo do boi em movimento, o item feminino de número 5 é responsável por conduzir o estandarte de cada bumbá com paixão e energia no Festival Folclórico de Parintins. A porta-estandarte é a representação da sabedoria cabocla, da tradição e da cultura indígena.

    As musas que defendem esse item devem esbanjar garra, desenvoltura, elegância, alegria e sincronia de movimentos entre o bailado e o estandarte. Desfilando em todas as noites, elas levam os torcedores ao delírio. Conheça as personalidades que se entregam como porta-estandarte:

    Garantido

    Edilene Tavares
    Edilene Tavares | Foto: Divulgação/Garantido

    Desde a primeira edição do Festival Folclórico de Parintins, várias musas amazonenses tiveram destaque como porta-estandarte. Quem defende o item atualmente é a dançarina profissional Edilene Tavares, que estreou como porta-estandarte na última noite do Festival Folclórico de Parintins em 2017, levando ao delírio a nação vermelha e branca.

    Anteriormente, em 2018, Nábila Barbosa atuou como porta-estandarte, correspondendo às expectativas ao substituir Daniela Tapajós, que desfilou oficialmente de 2015 a 2017.

    Edilene voltou a defender a bandeira encarnada em 2019, e se preparava em 2020 para defender o símbolo do Garantido. "A primeira vez que eu dancei, em 2017, é um momento que eu não esqueço. Não existe nada mais prazeroso do que sentir a arena sob os seus pés’’, declarou Edilene Tavares.

    Daniela Tapajós
    Daniela Tapajós | Foto: Divulgação

    Em 2017, Daniela Tapajós precisou ser substituída às pressas após sentir indisposições antes do desfilo, foi aí que entrou Nábila.

    "Eu era muito pequena quando conheci os bois de Parintins. A vizinha da minha tia, em Santarém, tinha filhas que passavam o dia inteiro dançando e eu ficava só olhando pela janela, achava aquela dança tão bonita. Com o tempo, aprendi as toadas e coreografias. Mas eu só gostava das toadas do Garantido. Nunca gostei do Contrário’’, afirmou Daniela Tapajós, relembrando o primeiro ano no Festival Folclórico de Parintins.

    Uma das mais aclamadas no item, Rayssa Barros assumiu o posto de porta-estandarte com apenas 15 anos, e entre 2009 e 2012, foi a alegria da arena. "É o sonho de toda parintinense de ser item do meu Boi Garantido, vivi momentos bons e ruins, de vitórias e de derrotas, mas sempre consciente do dever cumprido a cada ano, soube administrar a vaidade e ego de alguns torcedores e dirigentes do Garantido, falo isso porque antes de tudo fui e sempre serei uma torcedora do nosso Boi’’, compartilhou Rayssa.

    Rayssa Barros
    Rayssa Barros | Foto: Divulgação

    Entre o posto de porta-estandarte, Diana Sanclér, Lilian Linhares, Tatiane Barros, Myrrana Matos e Verena Ferreira também assumiram.

    Caprichoso

    Conhecida como o "Furacão Azul", Marcela Marialva é porta-estandarte do Caprichoso desde 2017, e ganhou o apelido entre os apoiadores do boi pela entrega e atitude que dispõe nas apresentações.

    A musa foi escolhida pela galera azul e branca durante um concurso aberto, e mostrando garra e determinação ao evoluir para inúmeros torcedores, ganhou o título de porta-estandarte, que carrega até hoje.

    Marcela Marialva
    Marcela Marialva | Foto: Divulgação

    Um dos grandes destaques do Caprichoso no item também foi Karyne Madeiros. Atuando de 2007 a 2011, a jovem conquistou fãs na torcida do Caprichoso e deixou saudades ao sair.

    "O Boi Caprichoso foi um divisor de águas em minha vida, durante esses cinco anos de vitórias, tenho a consciência tranquila que fiz tudo que foi possível pelo meu boi’’, afirmou Karyne.

    "Verdadeiro segredo das minhas vitórias não era a minha dança e sim o fato de acreditar no Estandarte e em todo o seu esplendor. Nesse momento nascia em mim a sincronia entre o estandarte e eu, pois, não basta apenas dançar bem, nem ter um corpo bonito ou estar bem vestida, tem que acreditar no que faz, sentir a essência e fazer por amor’’, acrescenta.

    Karyne Medeiros
    Karyne Medeiros | Foto: Divulgação

    Em 2017, Taynessa Brasil ergueu a bandeira do Caprichoso com orgulho, emocionando os torcedores e sendo reconhecida pelo bumbá. "Taynessa é uma guerreira, a representante do boi Caprichoso em movimento e que de cabeça erguida esteve sempre pronta para defender as cores azul e branca’’, homenageou o boi na saída do item.

    Filha dos sócios fundadores do boi Caprichoso, Rayssa Tupinambá defendeu o símbolo do bumbá de 2013 a 2014, iniciando no ano do centenário. No ano seguinte, Rayssa foi substituída por Jessica Tavares.

    Rayssa Tupinambá
    Rayssa Tupinambá | Foto: Divulgação

    Entre o item, outras grandes musas que defenderam o Caprichoso foram Thaisa Brasil, Jeane Benoliel, Analú Vieira,  Lucenize Moura, Marlessandra Nascimento Santana e Inah Lopes.

    Leia mais: 

    Em mais de três décadas, pajés do Garantido relembram apresentações

    Cunhãs-porangas do Garantido e momentos marcantes no Bumbódromo

    Raízes indígenas e magia envolvem apresentações de Pajés do Caprichoso