Fonte: OpenWeather

    Atividade física e dança


    Pole dance: a atividade que vai muito além da sensualidade

    A prática do Pole Dance carrega vários benefícios físicos e psicológicos, contribuindo para a autoestima; saiba onde praticar em Manaus

    Praticar Pole Dance exige flexibilidade e força física
    Praticar Pole Dance exige flexibilidade e força física | Foto: Arte por Desirée Souza

    Manaus - Oportunidade de se desafiar e conhecer as coisas incríveis que o corpo consegue executar, o Pole Dance é uma atividade física que está se tornando popular entre o público feminino. Dança mais conhecida pela sensualidade, o Pole Dance carrega vários estilos que podem ser realizados por diversos perfis, independente de gênero, idade, peso ou altura.

    Do mais erótico ao contemporâneo, as faces do Pole Dance acompanham vários benefícios, tanto físicos quanto psicológicos. A nova maneira de se exercitar, de acordo com a professora de Pole Dance, Chair Dance, Calistenia e coproprietária do Studio Möbius, Thayrinne Santos, é uma das mais procuradas pela versatilidade.

    | Foto: divulgação

    “Quem busca o Pole Dance alega que ele é mais ‘divertido’ e menos monótono que uma academia, por exemplo. E, assim como qualquer outro esporte, traz inúmeros benefícios’’, afirmou a coproprietária da escola de dança.

    Entre os benefícios, Thayrinne destaca o ganho de força e massa magra, perca de gordura, flexibilidade, fortalecimento dos músculos e consciência corporal.

    Mulheres que praticam a dança encontra diversos benefícios além dos físicos
    Mulheres que praticam a dança encontra diversos benefícios além dos físicos | Foto: Reprodução/Facebook

    Empoderamento feminino

    A autoconfiança e o empoderamento que o Pole Dance proporciona são pontos que tornam a prática o carro-chefe em várias academias. No Studio Möbius, a dança é uma das favoritas dos alunos.

    “O Pole Dance é praticamente uma terapia’’, celebrou Thayrinne. Emergindo um lado mais confiante na mulher, a dança é um reforço positiva à imagem corporal.

    "

    O pole dance não idealiza corpos perfeitos, como uma academia. Ele idealiza corpos reais que realizam coisas incríveis "

    Thayrinne, Coproprietária do Studio Möbius

    Sem idealizações, a prática surge trabalhando o respeito próprio feminino. De acordo com a professora de dança, a ginástica ao redor do poste revela às alunas a realidade do corpo que elas habitam.

    | Foto: divulgação

    “Primeiro que você faz as aulas com uma roupa pequena, em frente a vários espelhos e com outras pessoas. Você acaba aprendendo a se amar e entender que o seu corpo é um corpo real, cheio de defeitos e qualidades’’, ressaltou.

    Além da imagem corporal, o Pole Dance estimula as praticantes a conhecerem os limites que elas podem alcançar através dos exercícios.

    Incentivando a união feminina, a professora também busca fortalecer o companheirismo nas aulas.

    “Não existe competição, pelo menos não no Studio. Lá, a gente também respeita a amiga que faz aula com você. As nossas alunas se ajudam e se enaltecem. Elas entendem que cada uma faz o seu melhor ao seu tempo’’, comemorou Thayrinne.

    | Foto: divulgação

    Estigma

    Apesar dos vários benefícios do Pole Dance, a ideia que surge ao mencionar a prática está diretamente ligada à promiscuidade. Praticando a dança há 8 anos, a professora Thayrrine Santos revela que ainda existe um estigma em volta da arte.

    “É um ponto muito delicado. As pessoas enxergam de uma maneira errônea pois tudo que faz a mulher se sentir livre e bem com o próprio corpo é visto errado, e isso é algo que está na sociedade’’, ponderou.

    De acordo com a professora, é impossível desligar a parte sensual do Pole Dance por ele ter origens diretas na indústria erótica, mas isso não deveria ser um problema.

    “O erro não está em achar que é uma dança sensual, o erro está em estereotipar as mulheres que praticam o Pole Dance’’, revelou.

    Equipe de professoras e coproprietárias do Studio Möbius
    Equipe de professoras e coproprietárias do Studio Möbius | Foto: Reprodução/Facebook

    Origens

    Tanto dança quanto atividade física, a prática surgiu em cenários mesclados. Em parte, a ginástica tradicional indiana iniciou uma espécie de ioga ao redor de um poste de madeira, que evoluiu durante a Era Vitoriana com performances de artistas eróticas, e sofreu diversas mudanças até resultar no Pole Dance que é conhecido hoje.

    ‘‘Existem várias origens, e temos que entender que ele é tudo isso. É muito importante entender a complexidade e que existem várias vertentes’’, explicou a professora.

    Autoestima é o principal fator que faz mulheres procurarem o pole dance
    Autoestima é o principal fator que faz mulheres procurarem o pole dance | Foto: Reprodução/Facebook

    O Pole Dance Sensual é somente a vertente mais conhecida: a dança também encontra a área esportiva, onde são realizadas competições e a parte acrobática, ideal para os benefícios corporais, além de diversos outros estilos.

    ‘’No Studio, a gente não rotula o pole como esporte ou como dança, mas costumamos dizer que praticamos na complexidade que exige, pois ele é um conjunto de todas as vertentes’’, afirmou Thayrrine, ‘’trabalhamos com ele de maneira geral, não colocamos em caixinhas e vendemos ali separado’’.

    O Pole Dance traz diversos benefícios
    O Pole Dance traz diversos benefícios | Foto: Reprodução/Facebook

    A maior procura no Studio Möbius, afirmou Thayrrine, não é para a sensualidade, e sim para a autoestima. ‘‘É uma atividade física que faz você se sentir bem, e de quebra ajuda no fortalecimento dos músculos. Mas, atualmente, tenho poucas alunas que procuraram as aulas pela parte física’’.

    A evolução física é apenas consequência da prática que estimula a autoestima como um todo. E realmente não há perfil para quem deseja começar o Pole Dance: Thayrrine conta que existem alunas universitárias, mães de família, filhas que praticam com a mãe, e inclusive homens que buscam o ganho de força.

    O Studio Möbius oferece aulas on-line e presenciais, e está disponível através do site oficial, Instagram e Facebook.

    Leia mais:

    Arte Sem Fronteiras divulga cultura amazonense no Canadá

    Quer degustar vinhos? Gastrônoma realiza curso de introdução à bebida

    Projeto ‘Corpo em Voga’ oferece oficinas gratuitas de dança em agosto