Literatura


Editoras independentes criam projetos para fomentar mercado literário

Projeto permite que novos autores tenham suas histórias publicadas obra física e digital, além do resgate de clássicos

Editoras independentes lançaram campanha de financiamento coletivo pela plataforma Catarse | Foto: Reprodução

Manaus - Com o objetivo de movimentar a indústria literária e levar oportunidades a autores independentes por meio da criação de boas histórias, as editoras independentes Lendari e o Grupo Estante, do jornalista amazonense Mário Bentes, lançaram as campanhas de financiamento coletivo para desenvolver contos inéditos, e inovar com a publicação de textos clássicos como os originais escritos por Machados de Assis, em 1873.

Criada em 2014, a editora Lendari é especializada e conhecida nacionalmente por suas histórias de fantasia, realismo mágico, terror e ficção científica, que cativam seus leitores e auxilia novos autores brasileiros a entrar no mundo da leitura. Atualmente a editora o projeto “Matadores de aluguel: o sindicato”, a primeira coletânea do selo Morgue, que une thrillers e romances policiais e permite que autores brasileiros desenvolvam histórias curtas e misteriosas para serem publicadas. O projeto é organizado pela escritora J. M. Menez e encontra-se com edital aberto até 31 de agosto de 2020.

Os autores precisam escrever histórias onde os protagonistas sejam assassinos profissionais em uma missão para O Sindicato, uma organização secreta que pouco se sabe, mas que é influente o suficiente para não deixar pistas ou indícios concretos sobre sua existência. As histórias poderão se passar em qualquer época, de forma que os autores possam ter liberdade de explorar cenários, regiões, períodos históricos específicos do passado e usar tais elementos para a melhor construção do enredo de suas tramas. O projeto deve ser uma franquia com outras continuações em sub-temáticas que serão definidas pela editora na ocasião do anúncio dos próximos projetos.

Projeto permite que os autores sejam moderno e criativos na criação das histórias de terror
Projeto permite que os autores sejam moderno e criativos na criação das histórias de terror | Foto: Reprodução

Já o Grupo Estante lançou o projeto ‘Histórias da Meia-Noite”, que busca desenvolver uma nova edição do livro de contos de 1873 do escritor, Machado de Assis, em edições impressas individuais de cada uma das seis histórias. Os contos possuem títulos lançados originalmente em jornais nos quais Assis trabalhava. A obra é composta por seis contos: “A parasita azul”, “As bodas de Luís Duarte”, “Ernesto de Tal”, “Aurora sem dia”, “O relógio de ouro” e “Ponto de vista”.

O projeto busca apresentar uma proposta diferenciada, cada conto ganhará sua própria edição, com capa e ISBN próprios, em versões físicas em brochura e digitais (e-books). Os contos individuais devem ter textos introdutórios de especialistas, contextualizando as histórias e fazendo análises do ponto de vista literário. As versões individuais serão impressas em formato 14x21cm (tamanho médio), com capa em brochura (flexível), papel cartão triplex e miolo em papel off-white. Além das obras em si, os apoiadores receberão marcadores oficiais da coleção Histórias da Meia-Noite, cartões postais e terão seus nomes na página de agradecimentos de todas as versões, incluindo as digitais.

Financiamento coletivo vai permitir o resgate de escritos originais de Machado de Assis, de 1873
Financiamento coletivo vai permitir o resgate de escritos originais de Machado de Assis, de 1873 | Foto: Reprodução

Apoio coletivo

Os projetos ficarão disponíveis por 60 dias na campanha financiamento da plataforma Catarse, uma das maiores ferramentas de financiamento coletivo do país. Segundo o fundador e editor-chefe das editoras, Mário Bentes, a expectativa é que os leitores apoiem os projetos em lançamento.

“Recorremos à plataforma para ter apoio dos leitores para realizar os projetos. Esperamos bater as metas financeiras para arcar com os custos e ajudar a lançar esses autores da coletânea. E no caso do Machado, para poder apresentar esta nova versão dos clássicos”, explicou o jornalista.

Mário afirmou que, apesar de o cenário atual ter sido porta de entrada para novos leitores, o mercado literário ainda busca se recuperar da crise imposta pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). “Há muitos leitores. O desafio é chegar até eles sendo uma editora independente. Temos investido bastante em digital desde 2018, mas as vendas de e-book de ficção são baixas”, observou Bentes.

Como apoiar?

Autores interessados no projeto "Matadores de aluguel: o sindicato”, podem baixar edital e ficha de inscrição disponível na plataforma de financiamento e seguir os passos de apoio e pagamento. Para apoiar o projeto “Histórias da Meia-Noite” e garantir suas recompensas, a primeira coisa a fazer é escolher uma das opções de apoio na plataforma Catarse. Cada opção corresponde a um valor de uma ou mais recompensas. Depois de selecionar, o apoiador deve seguir os procedimentos de pagamento oferecidos na plataforma. Por ser uma campanha de financiamento coletivo, o projeto só será executado se a editora alcançar a meta mínima.

Leia Mais: 

Confira 10 livros que combinam com diferentes tipos de pais

Tony Bellotto, do Titãs, fala sobre a trajetória de sucesso da banda