Fonte: OpenWeather

    Luto


    Personalidades amazonenses lamentam perda inestimável de Emerson Maia

    Eternizado em toadas clássicas como Lamento de Raça, Rio Amazonas e Pura Harmonia, o compositor Emerson Maia morreu nesta sexta-feira (14)

    | Foto: Divulgação

     

    Manaus – "Emerson deixa, ao fim do seu tempo, um legado lindo e admirável que muito contribuiu e continuará por muito tempo para a cultura do Amazonas, do Brasil, e do mundo", disse o compositor Chico da Silva, após a inestimável perda do poeta Emerson Maia, na madrugada desta sexta-feira (14).

    Mente que deu luz às toadas clássicas “Lamento de raça”, “Ao pé da roseira” e “Flor de tucumã” pelo boi-bumbá Garantido. "Um canto novo de esperança” e “Fumaça das ervas” pelo Caprichoso. Emerson Maia representou décadas de grandiosidade no Festival Folclórico de Parintins.

    Eternizado não somente nas obras, mas na memória do Amazonas, o compositor, cantor, instrumentista e poeta, Emerson proclamou as belezas regionais e era defensor da fauna e da flora, algo visível nos seus poemas.

    | Foto: Divulgação

    “Ele era alguém que representou o Festival de Parintins como um todo. Lembro das palavras dele, entrando no curral do Caprichoso, dizendo que não podia partir sem ser do Caprichoso porque os melhores amigos dele estavam lá, então, ele tinha que homenagear a nação azul e branca, por todo carinho que deram a ele ao longo dos anos”, afirmou Jender Lobato, presidente do Caprichoso.

    No bumbá Garantido, o poeta também deixou saudades nos trechos que traduzem o sentimento vermelho e branco.

    "Emerson Maia registrou na memória dos torcedores toadas marcantes e sensacionais. Toda a nação vermelha e branca lamenta profundamente a perda de um dos maiores poetas que teve’’, lastimou Messias Albuquerque, vice-presidente do Boi Garantido.

    | Foto: Divulgação

    O levantador de toadas David Assayag também compartilhou a trajetória e amizade ao lado de Emerson Maia. "O Amazonas perde um dos maiores poetas de canção popular. Emerson fez história nos dois bois, e eu o considero um grande amigo, me cedeu o lugar dele como levantador e me incentivou muito no começo da minha carreira, era realmente uma pessoa extraordinária e tinha um coração maravilhoso. Um grande homem’’, lamentou David Assayag.

    Perda na cultura amazonense

    O secretário de Estado de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz, destacou a perda para a cultura amazonense e a luta de Emerson Maia na defesa da floresta.

    “A cultura do Amazonas perde uma das vozes mais atuantes em defesa da Amazônia e do Festival Folclórico de Parintins. Um poeta irretocável. Uma sensibilidade que sempre será lembrada. Um legado que nunca será esquecido. Fica nosso respeito pela memória do Emerson”, afirma.

    Emerson Maia tem longo currículo no Festival Folclórico de Parintins
    Emerson Maia tem longo currículo no Festival Folclórico de Parintins | Foto: Divulgação

    O governador do Amazonas, Wilson Lima, em nota, enviou condolências aos familiares, amigos e fãs de Emerson Maia. “A partida do compositor Emerson Maia une todos os amazonenses e admiradores do Festival Folclórico de Parintins em um mesmo sentimento de pesar, mas também de gratidão por tanta beleza que ele nos deixou. Sem dúvida, ficará na memória como um dos nossos grandes artistas”, disse.

    O legado de Emerson Maia marcou gerações. O jornalista Emerson Quaresma presenciou parte dessa história. ''Em 1995, eu estava no ensino fundamental, na hora cívica, o diretor do colégio pediu para inverter o quadro e, no lugar do hino, deveríamos acompanhar uma canção amazonense''.

    A canção escolhida foi ''Lamento da Raça'', obra de Emerson Maia. "Naquele ano eu conheci a potência que tem aquela toada que vive até hoje no coração da gente. Ele criou uma obra inigualável, em relação à Amazônia e ao Festival Folclórico de Parintins. Mesmo sendo torcedor do Caprichoso, tenho uma enorme admiração pela obra dele. É uma perda imensa para a cultura do Amazonas'', afirmou Emerson Quaresma.

    Perda

    A causa da morte ainda não foi divulgada, mas o poeta lutava há meses contra uma tuberculose que afetou o fígado. De acordo com informações divulgadas pela Associação folclórica do Garantido, Emerson estava com um quadro de cirrose agravada onde apenas um transplante de fígado poderia aumentar a expectativa de vida.

    Leia mais:

    Parintins de luto: morre o poeta da Amazônia Emerson Maia, aos 66 anos

    Emerson Maia recebe homenagem no Teatro Amazonas

    Chico da Silva, o coração de Parintins