Queen B


Viva a musa do Pop: Beyoncé completa 39 anos nesta sexta (4)

Relembre a carreira de sucesso da cantora compositora, atriz, modelo, dançarina, produtora, diretora e roteirista Beyoncé

Clipe de Formation
Clipe de Formation | Foto: Divulgação

Beyoncé Giselle Knowles-Carter, conhecida ‘‘apenas’’ como Beyoncé, comemora o aniversário de 39 anos nesta sexta-feira (4). A cantora iniciou a carreira de sucesso no grupo musical Destiny’s Child, e atualmente é uma das maiores referências no mundo pop.

Dona de uma carreira sólida, a Queen B – apelido dado pelos fãs – não é somente cantora, mas também compositora, atriz, modelo, dançarina, produtora, diretora e roteirista.

Nos últimos anos, a carreira de sucesso alcançou outros patamares desde o lançamento do álbum Lemonade, em 2016, quando Beyoncé se tornou mais vocal sobre o racismo estrutural dos Estados Unidos, além de dar a voz e espaço para novos artistas afrodescendentes.

Ao se envolver com causas sociais, Beyoncé causou fortes impressões no público estadunidense, o que não a impediu de manter os ideais e vociferar a favor das vidas negras.

Beyoncé vociferou em causas sociais
Beyoncé vociferou em causas sociais | Foto: Divulgação

Um dos trabalhos mais recentes, "Black is King’’ (Preto é Rei, na tradução literal) homenageia a cultura africana. A ideia foi celebrar a beleza da ancestralidade negra, apresentando elementos da história e da tradição africana com um toque moderno.

Destiny’s Child

Antes de atingir a fama mundial, Beyoncé percorreu diversos projetos e se destacou em diversas obras. Uma delas foi o grupo musical Destiny’s Child, onde a cantora iniciou a carreira.

Com apenas 16 anos, Beyoncé integrou o grupo, que inicialmente era chamado de ‘’Girl’s Tyme”, e vendeu cerca de 60 milhões de cópias mundialmente.

Hits como ‘’Say My Name’’, ‘’Survivor’’ e ‘’Independent Woman’’ do grupo são relembrados até hoje, e compõem a discografia de peso da artista.

Carreira solo

Em 2003, Beyoncé lançou o álbum ‘’ Dangerously In Love’’, que marcou o início da carreira solo. Classifico pelos críticos como sexy, ousado e inovador, já no primeiro momento a cantora provou que veio para mudar a indústria da música.

| Foto: Divulgação

Beyoncé carregava uma bagagem rica no Destiny’s Child, por isso resolveu manter a mesma sonoridade da qual já estava acostumada, uma vez que em seu lançamento a cantora ainda fazia parte do grupo. Ela recebeu cinco Grammys pelo trabalho.

O grupo chegou ao fim em 2005, com cada artista seguindo carreira solo, e Beyoncé permaneceu como o maior destaque. Ela chegou a coestrelar o filme A Pantera Cor de Rosa, e gravou o sucessor de “Dangerously In Love”.

O álbum “B’Day”, foi lançado em 2016, e também recebeu grande destaque, mas o nome Beyoncé ainda não era conhecido como um dos maiores do munda da música. Para mudar isso e deixar seu legado, em 2008 foi lançado este que até então é um dos maiores sucessos, “I Am… Sasha Fierce’’.

“Single Ladies”, “Halo” e “If I Were A Boy” compuseram o álbum, que ganhou quatro Grammys e estreou na primeira posição da Billboard 200.

| Foto: Divulgação

Após o sucesso de “I Am… Sasha Fierce”, Beyoncé estava disposta a superar o antecessor e criar um disco tão bom quanto. Em 2011. foi lançado o disco “4”, com grandes hits como “Best Thing I Never Had”, “I Was Here” e “Love On Top”.

 “Run The World (Girls)”, que é hoje um dos maiores sucessos, também integrou o álbum, e desde então a cantora vociferou sobre questões como feminismo e empoderamento. ‘’Beyoncé’’, a obra que sucedeu ‘’4’’, deu continuidade nessa temática através das faixas “Pretty Hurts” e “Flawless”.

Após 3 anos em hiatos, a cantora começou a se envolver mais ativamente em causas sociais, principalmente movimentos contra o racismo. Sem aviso prévio, ela lançou o clipe de “Formation”, logo após, era lançado o álbum “Lemonade”.

Os principais assuntos abordados no disco são o casamento com Jay Z, uma possível traição, violência policial, a relação com o pai, e o orgulho da ancestralidade negra. Em um projeto audiovisual, o lançamento foi um sucesso, considerado um dos trabalhos de maior impacto até então.

Leia mais:

Guardiões da Floresta: artistas do Norte estampam capa da Vogue Brasil

Músicas do RBD voltam a plataformas de streaming após 8 anos

Confira curiosidades que você talvez não saiba sobre Mulan