Fonte: OpenWeather

    Apostas


    Promessas do Oscar 2021: qual seu palpite?

    Mesmo sem grandes estreias nos cinemas, alguns títulos receberam os olhares da crítica internacional e são promessas para o Oscar 2021

    News of the World, Tenet e Amor, Sublime Amor são apostas para Melhor Filme
    News of the World, Tenet e Amor, Sublime Amor são apostas para Melhor Filme | Foto: Divulgação

     Com o cenário atípico, o Oscar - prêmio mais importante do cinema mundial -, sofreu incertezas com a falta de novas estreias pela pandemia de covid-19, mas com as regras menos rígidas, já existem títulos cogitados para a categoria de ''Melhor Filme''.

    Originalmente agendado para 28 de fevereiro de 2021, a 93ª cerimônia de premiação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas já foi adiada para 25 de abril de 2021.

    Enquanto a indústria cinematográfica luta para permanecer presente sem a possibilidade de grandes estreias - já que a maioria das redes de cinemas no mundo estão de portas fechadas -, a Academia flexibilizou as regras para concorrer na premiação.

    A organizadora do evento anunciou que filmes que estrearem até o dia 28 de fevereiro poderão concorrer à 93ª edição.

    "Nossa esperança, ao estender o período de elegibilidade e nossa data de premiação, é oferecer aos cineastas a flexibilidade necessária para finalizar e lançar seus filmes sem serem penalizados por algo além do controle de qualquer um", afirmaram em comunicado o presidente da Academia, David Rubin, e a diretora-executiva, Dawn Hudson.

    Quais são os favoritos até o momento?

    | Foto: Divulgação

    "Tenet", de Christopher Nolan, continua sendo um dos poucos grandes lançamentos a ter chegado aos cinemas em 2020. Apesar das reações mistas de críticos e do público, o thriller, que mexe com a linearidade do tempo, se aproxima da marca dos $150 milhões na bilheteria, internacionalmente, e é um dos favoritos para o Oscar.

    Christopher Nolan é um dos poucos cineastas em Hollywood que equilibra sucesso comercial com prestígio acadêmico. O épico de ficção científica "A Origem", por exemplo, conseguiu oito indicações ao Oscar - e venceu 4 - mesmo se localizando em um gênero pouco favorecido pela premiação.

    A produção que larga na frente como uma das favoritas rumo ao Oscar é estrelada por Tom Hanks. News of the World, sem título em português, tem previsão de estreia para dezembro, no Natal, e se passa no período pós-Guerra Civil nos EUA, e Hanks repete a parceria com o cineasta Paul Greengrass, o mesmo que o dirigiu em Capitão Phillips.

    O Julgamento dos Sete de Chicago, filme baseado em fatos reais com direção de Aaron Sorkin (de Steve Jobs e da série The West Wing), também é um forte concorrente.

    Apostas de Melhor Filme

    Mank, aposta do crítica Caio Pimenta
    Mank, aposta do crítica Caio Pimenta | Foto: Divulgação

    O crítico cinematográfico do Cine Set, Caio Pimenta, aposta nos títulos “Mank”, de David Fincher, drama biográfico sobre o roteirista Herman J. Mankiewicz e a batalha com o diretor Orson Welles pelo crédito de roteiro para Cidadão Kane; “Nomadland”, de Chloe Zhao, vencedor do Leão de Ouro do Festival de Veneza apontado como um forte concorrente ao Prêmio da Academia e “Ma Rainey´s Black Bottom”, com Viola Davis e Chadwick Boseman para indicações ao Melhor Filme em 2021.

    As obras “The French Dispatch”, do Wes Anderson, “Destacamento Blood”, do Spike Lee, “Os Sete de Chicago”, do Aaron Sorkin, “One Night in Miami”, da Regina King” e “Amor, Sublime Amor”, remake do Spielberg também são possíveis indicações que o crítico prevê.

    "Será uma temporada com foco na questão de afastar novamente o #OscarSoWhite e de um apoio mais firme às mulheres, por isso, acredito que 'Nomadland' e 'One Night in Miami' possam vir fortes’’, avaliou. "Mas apontar possíveis vencedores ainda é cedo demais’’, acrescentou.

    Chance para o Streaming

    | Foto: Divulgação

    Além da mudança na data, a Academia também anunciou que serão aceitos filmes lançados inicialmente nas plataformas de streamings. Em comunicado, explicaram que os filmes impossibilitados em estrear nas salas de cinema e lançados primeiro em serviços de vídeo poderão participar da inscrição da 93ª edição.

    Antes das mudanças, apenas filmes exibidos nos cinemas de Los Angeles durante 2020 poderiam ser indicados ao Oscar 2021.

    De acordo com o crítico cinematográfico Caio Pimenta, a regra de exibição, mesmo que limitada, já acontece há algum tempo.

    "As produções de streaming já vêm tendo muitas chances de Oscar, independente da pandemia. 'Roma', 'O Irlandês', 'História de um Casamento' provaram isso nos últimos anos. Para o ano que vem, deverá crescer ainda mais e chegar com uma possibilidade enorme de sair vencedor de Melhor Filme, ainda que aposte em uma Academia apoiando os filmes lançados nos cinemas’’, ressaltou o crítico.

    A chance para o Streaming surge com a mudança e Caio Pimenta evidenciou que a Netflix aparece forte com isso.

    "Especialmente com 'Os 7 de Chicago', 'Mank' e 'Destacamento Blood'. Por outro lado, não duvido que a Academia queira prestigiar novamente os estúdios que insistem no modelo tradicional, como uma forma de apoio e resistência às salas de cinema’’, ponderou.

    Diversidade

    Halle Berry pode ser indicada como Melhor Direção
    Halle Berry pode ser indicada como Melhor Direção | Foto: Divulgação

    Outra novidade que ainda não foi completamente implementada no Oscar envolve novas exigências para elegibilidade na categoria de Melhor Filme, visando “encorajar a representação equitativa dentro e fora da tela para melhor refletir a diversidade do público que vai ao cinema”, segundo a Academia.

    Com isso, os filmes deverão atender certos critérios mínimos em termos de representação e inclusão para serem elegíveis para o Prêmio da Academia a partir de 2024. A iniciativa chamada Aperture 2025 possui quatro novas regras, das quais para se qualificar os filmes deverão cumprir ao menos duas, - Representação na tela, temas e narrativas; Liderança criativa e equipe de projeto; Acesso à indústria e oportunidades e Desenvolvimento de público.

    Representatividade

    O ativismo negro e o feminismo deve ser um dos focos da 93ª edição do Oscar, mesmo que os critérios de diversidade ainda não sejam obrigatórios. Caio Pimenta prevê a primeira mulher negra indicada a Melhor Direção - Regina King e Halle Berry nos filmes de estreias são as favoritas.

    Chloe Zhao também é um palpite do crítico cinematográfico. ‘’Provavelmente será indicada e pode ser a favorita para vencer por ‘Nomadland’. O Chadwick Boseman tem boas oportunidades de sair premiado seja por ‘Destacamento Blood’ ou ‘Ma Rainey´s Black Bottom’. Teremos mais atores e atrizes negros nomeados, diferente de 2020 quando somente a Cynthia Erivo, por ‘Harriet’, foi lembrada’’.

    Roteiristas e profissionais da área técnica deverão, inclusive, ser mais nomeados. ‘‘Será uma forma da Academia se juntar ao movimento Black Lives Matter, fortalecido pela morte brutal do George Floyd’’, evidenciou.

    Brasil no Oscar 2021

    Regina Casé em Três Verões
    Regina Casé em Três Verões | Foto: Divulgação

    A Academia Brasileira de Cinema deve eleger qual produção nacional irá representar o país na busca por um Oscar, apesar dos esforços de Secretário de Cultura Mário Frias, que revelou que quer ver o país representado no evento, todavia, por um filme que esteja alinhado com as visões e propostas do atual governo.

    2021 será o primeiro ano que a Academia não passará pelo Governo Federal a aprovação dos candidatos. Antes, os membros eram, principalmente, da Secretaria de Cultura.

    "Tivemos a sorte de nos livrar, pelo menos, diretamente da interferência direta do Governo Federal e do 'gênio' Mário Frias. Por outro, a Academia Brasileira de Cinema é bem quadrada e sempre vai no óbvio. Desta forma, ‘Três Verões’ surge como uma possibilidade seguida por ‘Pacarrete’, ‘Todos os Mortos’, ‘A Febre’ - rodado em Manaus - e ‘Marighella’, para desespero do Bolsonaro’’, enfatizou Caio Pimenta.

     Leia mais:

    Confiava na minha pistola, agora confio em Deus’, diz ex-detento

    Netflix sofre boicote após lançar filme acusado de sexualizar meninas

    Estreia de Mulher-Maravilha 1984 é adiada para dezembro