Fonte: OpenWeather

    Produção


    Em Manaus, fotógrafa retrata fase de isolamento em curta-metragem

    A produção, intitulada ‘Isolada’ e produzida por Lisi Moreira, retrata o dia a dia durante os meses da quarentena

     

    O curta metragem foi divulgado nesta terça-feira (22)
    O curta metragem foi divulgado nesta terça-feira (22) | Foto: Reprodução

    Manaus – A pandemia pegou o mundo de surpresa e fez a vida ser observada por outra ótica, de dentro para fora. Manaus vivenciou seu ápice de contaminação e mortes nos meses de abril e maio, período em que muitas pessoas obedeceram ao isolamento e não saiam de casa. A fotógrafa Lisi Moreira não só refletiu, como também expressou tudo o que estava sentindo em um curta-metragem, que está disponível no youtube.

    Intitulado “Isolada”, o filme foi todo gravado por Lisi dentro de casa nos meses de abril e maio. Ela produziu o curta-metragem retratando o dia a dia, a solidão e o grande desafio enfrentado com a pandemia do novo Coronavírus. 

    | Foto: Divulgação

    Ela descreveu a solidão do isolamento em vídeo em momentos que foram muito comuns a todos que passaram pelo processo. Desta forma, o expectador acaba se identificando em algum momento com o filme.

    “Queria passar para as pessoas o quanto foi difícil esse processo de isolamento. De precisar ficar em casa por um bem geral. Não foi fácil para ninguém. Eu acredito que aprendi a valorizar as pequenas coisas com esse processo. Como olhar para o céu e poder sair no quintal de casa e ficar um pouco no sol e aprender a lidar com os momentos sozinha”, destacou a produtora do curta-metragem.

    Ela conta que, além da produção solo, o confinamento a fez sair da zona de conforto e produzir algo além daquilo que ela já fez como fotógrafa.

    "

    A minha intenção é mostrar o quanto foi maçante, cansativo, entediante, solitário (para muitos), vivenciarmos isso tudo juntos e, ao mesmo tempo, separados "

    Lisi Moreira,

    “A experiência de produzir sozinha quebrou meus paradigmas porque gosto de filmar e gravar os outros e não a mim. Eu fiquei muito preocupada se ia conseguir fazer, se ia ficar bonito, se ia passar a mensagem. Foi muito intuitivo, sem roteiro, vivendo um dia de cada vez”, disse.

    A editora conta que, após a divulgação, na última semana, recebeu diversos elogios e comentários sobre a produção. Até o momento, o vídeo possui mais de 100 visualizações.

    “A repercussão foi muito boa. Foi além do que eu esperava. Fiz na intenção de ser criativa durante a quarentena e lidar com a minha ansiedade. Passei por todo esse processo que todos passaram de ficar isolados em casa. Recebi áudios emocionantes de pessoas que assistiram ao curta. Acharam sensível a forma como tratei a solidão e a saudade das pessoas”, comentou.

    A fotógrafa contou a experiência em casa
    A fotógrafa contou a experiência em casa | Foto: Reprodução

    Projetos para o futuro

    Lisi conta que possui projetos que deseja desenvolver, mas busca estudar para adquirir novas técnicas.

    “Eu tenho vontade de fazer muitas coisas. Entre elas escrever roteiro e criar histórias para filmagem de um curta-metragem de ficção. Tenho vontade de fazer documentários com temáticas que me interessam como da LGBTQI+ e a negritude. As produções servem para isso, para dar luz a essas questões que são importantes”, destacou.

    O jornalista Maurício Sanches viu o curta-metragem documental e ressalta que se emocionou, pois se viu em muitos momentos ao ponto de resgatar memórias do período de isolamento.

    “Quando o audiovisual desperta algo no expectador, o objetivo é alcançado. Eu me vi nas cenas do filme ‘Isolada’ e todo aquele sentimento de frustração, angústia, medo, tédio e tantos outros sentimentos e acabei revivendo. Claro que tem todo um olhar artístico sobre as coisas que passo pelas lentes, pois a fotografia do filme está ótima” , afirma Sanches.

    Sobre a diretora

    Lisi Moreira é fotógrafa, editora de vídeo e, além de “Isolada”, já produziu vídeos para artistas locais e para o projeto ”Biscoito Reflexivo” apresentado pela produtora cultural Audiane Arruda.

    Assista a produção da fotógrafa:

    Leia mais:

    Sarau Musical conta vida e obra de Pinxinguinha com músico Célio Vulcão

    Carnaval de rua do Rio 2021 é adiado