Moda


Moda une sedução e proteção em tempos de pandemia

Estilistas da Semana de Moda de Paris optaram por peças "protetoras"

A Louis Vuitton assim decretou: a máscara é um “acessório da moda” | Foto: Divulgação

Os estilistas da Semana de Moda de Paris, que termina nesta terça-feira, buscaram apresentar coleções “protetoras” em tempos de pandemia, mas também despiram os corpos e propuseram uma sensualidade deixada de lado durante o confinamento.

A Dior transformou seu tradicional casaco ajustado ao corpo e estruturado em uma peça mais solta e confortável, inspirada em um sobretudo desenhado por Christian Dior em 1957, numa coleção centrada no Japão.

“A ideia era confeccionar um casaco com o qual se sentisse em casa. Trabalhamos muito com os tecidos fluidos e rústicos”, explicou à AFP a diretora artística da marca, Maria Grazia Chiuri. “As pessoas atualmente querem se proteger, um aspecto que, até agora, não havíamos levado em conta. Temos um estilo de vida mais privado, e nossa relação com as roupas será mais pessoal e íntima”, assinalou a italiana.

A Balenciaga concentrou-se, por sua vez, nas peças íntimas, para fazê-las brilhar no exterior, como pijamas sobrepostos e camisolas transformadas em vestidos de noite. Os chinelos de hotel ganharam saltos.

Issey Miyake imaginou uma cartela de cores roxa, laranja e verde, que representou a decoração de uma sala de estar, fazendo alusão ao período de confinamento, que a marca japonesa quis lembrar de forma positiva.

A máscara, acessório da moda

A Louis Vuitton assim decretou: a máscara é um “acessório da moda” e ganhará protagonismo no desfile de amanhã da marca de luxo, que encerrará a semana de moda primavera/verão de prêt-à-porter.

*Com informações da AFP