História amazonense


Mostra de cinema mantêm viva a memória de personagens amazonenses

Personagens amazonenses serão relembrados em documentários, apresentados no Cine Teatro Guarany, neste sábado (10), das 18h30 às 20h, com entrada gratuita

| Foto: Divulgação

Manaus – Com o objetivo de difundir a produção cinematográfica amazonense contemporânea, o Cine Teatro Guarany exibirá a Mostra Memória de Personagens Icônicos da Sociedade e da Cultura Amazonense no sábado (10), das 18h30 às 20h.

O Cine Teatro Guarany está funcionando com entrada gratuita e agendamento prévio para o público que desejar assistir, com apenas 50% de sua capacidade de plateia, 48 lugares disponíveis, conforme as normas de segurança exigidas contra o covid-19. O agendamento deverá ser feito através do site da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

Todos os curtas exibidos na Mostra Memória tem direção do artista plástico e dramaturgo Sergio Cardoso, em que foram feitas extensas pesquisas sobre a importância de se preservar os relatos de quem viveu e vive a história para as novas gerações, apresentando filmes de Maria de Nazareth Pinto, Antônio Barata e Oscarino Varjão.

Ventríloquo Oscarino Farias Varjão
Ventríloquo Oscarino Farias Varjão | Foto: Divulgação

Os documentários foram concebidos através do Projeto Memória Oral, com relatos e impressões em primeira pessoa sobre as figuras que hoje permanecem apenas na saudade e nas páginas da história.

Em primeiro plano, estão os relatos pessoais dos entrevistados, sejam eles os próprios personagens em foco ou pessoas que conviveram com eles. Em paralelo aos testemunhos, os filmes também resgatam imagens, documentos e publicações em jornais e revistas, obtidos a partir de pesquisas históricas realizadas por Sergio Cardoso para o projeto.

“Quando narra sua vida, a pessoa automaticamente faz ligações com momentos da História do Amazonas e do Brasil. E essas são pessoas inseridas na ‘dramaturgia’ da sociedade amazonense. Pessoas que viveram as repercussões do suicídio de Getúlio Vargas ou do golpe militar de 1964, por exemplo, ou ainda testemunharam o desenvolvimento de Manaus com a Zona Franca”, comentou Cardoso.

Maria de Nazareth Pinto - A Rainha do Cinema de Manaus

Cinéfila Maria de Nazareth Pinto
Cinéfila Maria de Nazareth Pinto | Foto: Divulgação

Figura curiosa de Manaus, é o caso da professora aposentada Maria de Nazareth Pinto, que desde os anos 1960 se dedica à ‘missão’ de ir ao cinema todos os dias. “Hoje cumpre um papel de divulgar e comentar sobre os filmes em cartaz entre seus colegas no Clube do Idoso”, relatou Sergio Cardoso.

Aos 79 anos, a professora de Letras já assistiu a cerca de 20 mil filmes. A trajetória é contada em uma narrativa que mostra as diversas fases da vida e relata a longa experiência como cinéfila. Lançado em 2018, o filme tem duração de 17 minutos e classificação para 12 anos.

Antônio Barata – Memória da Livraria Acadêmica

Um relato tanto da memória do Sr. Antônio Barata como proprietário, como de uma livraria que fez parte de muitas gerações na cidade de Manaus, fundada em 1912, fechou as portas em 2009. Restando apenas saudades pelo fim do mais antigo templo ocupado pelos leitores da cidade.

| Foto: Divulgação

O Ventríloquo Oscarino e seu boneco Peteleco – A Voz e o dono da Voz

Um dos últimos registros do retorno do artista ventríloquo Oscarino Farias Varjão, que dava vida e voz ao boneco Peteleco, ao palco do Teatro Gebes Medeiros (Ideal Clube) em 2016. Debilitado pela perda da voz no final do ano de 2015, Oscarino se emociona com o público nesse registro marcante das paródias e piadas que marcaram várias gerações.

Leia mais:

Curta amazonense O Barco e O Rio será exibido em mostra do Cine Ceará

Nobel de Literatura 2020 vai para a poeta americana Louise Glück

Raylla Araújo faz campanha para gravar EP e videoclipe