Arte


Bordados feitos à mão voltam a fazer sucesso em Manaus

Como hobby e também como objeto, o bordado realizado à mão vêm conquistando o público amazonense novamente

| Foto: Divulgação

Manaus – Existem várias formas de eternizar momentos importantes e a criatividade vai longe para buscar opções diferentes de marcar memórias. Os bordados produzidos à mão são mais uma alternativa que o público em Manaus buscou na arte e que mantém o sucesso.

Através de linhas e formas, o bordado representa uma lembrança ou inicia uma transformação. No caso da jornalista Bruna Oliveira, de 26 anos, o bordado foi escolhido como porta aliança para o casamento.

“A imagem que escolhemos bordar, com uma árvore, representa esse momento que estamos iniciando, nossa árvore genealógica, e o bordado ficará com a gente mesmo depois, como um quadro, para sempre lembrarmos do nosso casamento’’, compartilhou Bruna.

Porta alianças do casamento de Bruna permanecerá com a noiva como lembrança
Porta alianças do casamento de Bruna permanecerá com a noiva como lembrança | Foto: Arquivo pessoal

Já a dona de casa Márcia Souza, de 37 anos, encomendou um bordado para representar o primeiro ano do filho. ‘’Como ele fez um aninho durante a pandemia não fizemos nenhuma festa, mas eu ainda queria registrar de alguma forma. Uma amiga que sugeriu fazer o bordado, e eu adorei a ideia’’.

A arte de Márcia foi a silhueta do filho, junto com a data de nascimento. O artigo correspondeu às expectativas da mãe.

‘’Ainda gostaria de ter feito algo a mais, mas agora eu tenho o bordado em casa, como um quadro, e sempre me dá felicidade olhar para ele’’, afirmou.

Arte delicada

Bordados levam pontos delicados na confecção
Bordados levam pontos delicados na confecção | Foto: Arquivo pessoal

A estudante Raíssa Marques, de 21 anos, tem como hobby e ofício produzir bordados à mão. O interesse pela prática surgiu ao observar outros trabalhos que envolviam a arte e, logo, ela também mergulhou nesse mundo.

‘‘Achava muito lindo, algo muito delicado. O interesse de aprender a bordar surgiu naturalmente e deu muito certo’’, revelou a amazonense.

Cada trabalho envolvendo o bordado representa algum significado importante para Raíssa, mesmo que a arte seja destinada para outra pessoa. Uma das encomendas mais marcantes para a estudante, foi o bordado de uma borboleta.

‘‘Ela representa transformações e foi meu primeiro bordado. Então, é muito importante para mim, pois foi em uma época que minha vida estava passando por várias transformações simultaneamente’’, relembrou.

Cada arte de Raíssa demora 5 a 10 horas, em média, para finalizar. Por ser um artigo diferente e que permite possibilidades infinitas, a procura pelo bordado aumenta cada vez mais.

Vista do Teatro Amazonas em bordado
Vista do Teatro Amazonas em bordado | Foto: Arquivo pessoal

‘’O público se interessa e se encanta com o que o bordado pode proporcionar. E, para mim, é algo que proporcionar paz, quando comecei, tinha bastante ansiedade. Bordar foi um escape’’, contou Raíssa.

‘‘Me dá prazer também, pois é muito gostoso saber a história de cada cliente, a ideia que ele quer para o bordado. Como por exemplo, um pedido de casamento ou bordar uma foto de um momento que marcou a vida deles’’, afirmou.

A universitária Marcele Lira, de 26 anos, começou a bordar como hobby para presentear amigos próximos, e com o tempo e prática, foi expandindo a atividade. A arte, para a amazonense, simboliza um momento e demonstra sentimentos.

Cada bordado requisita cuidados diferentes
Cada bordado requisita cuidados diferentes | Foto: Arquivo pessoal

‘‘Os pedidos mais marcantes para mim são os que têm uma história bem legal por trás. O último que me marcou foram nove rostos de mulheres, onde eu precisei misturar o bordado com aquarela e usar várias técnicas diferentes de cores’’, afirmou Marcele. Para a universitária, cada arte demora, em média, de 3 a 10 horas para finalizar.

‘‘Amo bordar, amo bordar histórias e momentos. Fico muito feliz em saber que algo que eu fiz levou alegria e emoção para alguém. Isso é muito gratificante e prazeroso para mim’’, contou.

Atividade que acalma

Bordados também podem ser utilizados como quadros
Bordados também podem ser utilizados como quadros | Foto: Arquivo pessoal

A fisioterapeuta amazonense Carollyne Lima, de 31 anos, aderiu ao hobby de bordar durante a pandemia. Sem poder sair de casa para trabalhar, a atividade foi um ponto que a ajudou durante o isolamento social.

‘‘Minha inspiração para tudo que fiz na vida, sempre foi minha avó. Ela me ensinou a bordar quando criança, e trabalhar com isso, hoje, é como se eu pudesse ter um pouco dela comigo’’, compartilhou Carollyne.

Para Carollyne, cada bordado leva, em média, 3 dias para finalizar, mas o resultado vale a pena.

‘’O bordado foi ressignificado, e, hoje em dia, diz muito mais sobre sentimentos do que só uma peça decorativa. Ele vem sendo cada vez mais procurado para eternizar momentos especiais’’, ressaltou a amazonense.

Todos os bordados, de acordo com a fisioterapeuta, são especialmente marcantes, mas o que ela mais se envolveu, foi uma porta maternidade do filho de um amigo.

“Poder fazer parte da vida do bebê desde o início da vida e fazer com minhas próprias mãos algo que vá representar ele, é uma já sensação maravilhosa’’, contou.

‘‘Bordar é relaxante, traz paz na alma. Costumo dizer que em cada pontinho, leva um pouco do meu amor. Óbvio que tem o estresse de toda e qualquer atividade, mas temos a liberdade de parar, respirar e recomeçar’’, finalizou a ‘’bordadeira’’, como ela costume se intitular.

 Leia mais:

'Caminhando para novidades', revela Bruno Cardoso, do Sorriso Maroto

Trio ‘agenoragostinhoeleo’ lança nova música inspirada pela quarentena

007, Anaconda e Tainá: confira filmes que levam o AM para telonas