Fonte: OpenWeather

    Inspiração


    Musa inspiradora: conheça algumas canções que retratam Manaus

    Diversas músicas falam sobre os encantos de Manaus e tudo o que move a maior metrópole da Amazônia

    Manaus, com seus encantos, inspira artistas
    Manaus, com seus encantos, inspira artistas | Foto: Alexandre Fonseca

    Manaus – A capital amazonense, repleta de belezas naturais e diversas espécies de fauna e flora que banham a Amazônia, é almejada por visões artísticas em filmes, fotografias, ritmos, e, claro, em músicas e composições. Musa inspiradora de canções regionais, ela é homenageada em diversas obras. Confira algumas:

    Porto de Lenha – Torrinho

    ‘’Porto de Lenha, tu nunca serás Liverpool’’

    Lançada há quase 30 anos, ‘’Porto de Lenha’’ é uma das canções mais conhecidas de todo Amazonas, considerada ainda como um hino ‘’extraoficial’’ de Manaus. Símbolo da valorização amazonense, ela foi eternizada na voz de Zeca Torres, ou Torrinho, e permanece atual.

    A primeira versão da letra foi escrita no início dos anos 1970 pelo compositor, poeta, escritor e jornalista Aldísio Filgueiras, inspirada em uma composição de Torrinho e Wandler Cunha.

    Zeca Torres, conhecido como Torrinho
    Zeca Torres, conhecido como Torrinho | Foto: Divulgação

    Esse texto e vários trechos de outros poemas foram musicados por ele. Segundo o compositor, ”apesar de Manaus ser um corredor de passagem para uma classe média, que não se preocupa em pensar a realidade, acredito que há um amadurecimento na percepção que temos de nós mesmos“.

    Graças ao sucesso da música e à contribuição para a cultura amazonense, Torrinho recebeu em 2014 uma placa comemorativa da Câmara Municipal de Manaus. 

    Manaus Cidade Grande, Costume De Interior Pequeno – Cabocrioulo

    ‘‘Mas este lugar ainda é pacato, é aqui que reina a paz da floresta e onde o sol continua a brilhar’’

    ‘’Manaus é um ovo’’, é uma expressão que todo amazonense costuma ouvir na capital, e não demora para entender o porquê.

    "É algo engraçado, na realidade, pois em qualquer lugar que você sair, encontra ao menos cinco conhecidos, aqui todo mundo é famoso. Costumo dizer que aqui é um condomínio grande’’, explicou Milton Cabocrioulo, vocalista da banda que canta ‘‘Manaus Cidade Grande, Costume De Interior Pequeno’’.

    Show da banda Cabocrioulo
    Show da banda Cabocrioulo | Foto: Divulgação

    Composta por Marcos Cileno e Milton Cabocrioulo, ironizando esse aspecto de Manaus, a canção faz um comparativo sobre como, apesar de ser uma metrópole, a capital ainda guarda as raízes interioranas no dia-a-dia.

    A banda Cabocrioulo atua com uma mistura de ritmos e estilos regionais, exaltando a cultura amazonense, e é um dos grupos mais famosos em Manaus pelos jovens.

    Domingo de Manaus – Chico da Silva

    ‘’Pra quem não visitou e conheceu Manaus, 'tô' dando a dica que resolve logo, que tua alma vai sair do caos’’

    Revivendo uma das épocas de ouro de Manaus, onde a natureza podia ser aproveitada ‘’ali na esquina’’ e com igarapés a disposição, a canção ‘’Domingo de Manaus’’ mantêm na memória musical a vivência de um tempo mais simples.

    Apesar de não ser o mesmo cenário, Manaus ainda desfruta de diversas belezas, e no samba harmonioso de Chico da Silva, um dos compositores e músicos mais conhecidos do Amazonas, é possível tributar essa magnitude.

    Compositor amazonense Chico da Silva
    Compositor amazonense Chico da Silva | Foto: Arquivo EM TEMPO

    Caboco Ôco – Os Tucumanus

    ‘‘Esse lugar é a cidade, mas a pergunta que me faço e estendo a vocês é, como ser um caboco hoje?’’

    Uma mistura de batidas brasileiras e ritmos alternativos para cantar, dançar e refletir sobre temáticas que variam do cotidiano urbano ao regional amazônico. Assim é possível tentar definir a musicalidade dos Tucumanos.

    Em ‘’Caboco Ôco’’, a reflexão da vez é sobre as origens do povo manauara, e como elas se perdem no mundo moderno.

    Canção de Manaus – Áureo Nonato

    ‘‘Manaus, és a cidade sorriso, esperança de nossa Amazônia’’

    Composição de Áureo Nonato, a ‘’Canção de Manaus’’ já foi interpretada por diversas vozes, entre elas, David Assayag e Márcia Siqueira, e recebeu execução pela Orquestra Amazonas Jazz Band no aniversário de 343 anos de Manaus.

    A expressão ‘’cidade sorriso’’ em referência à Manaus foi popularizada através da canção, e ela também é considerada popularmente como um dos hinos ‘’extraoficiais’’ da capital.

    Biojoias – Karine Aguiar

    Karine Aguiar é conhecida como ''Musa do Jungle Jazz''
    Karine Aguiar é conhecida como ''Musa do Jungle Jazz'' | Foto: Divulgação

    ‘’A Floresta é a base e a inspiração, é da vida que se faz a arte’’

    Cantora, compositora e pesquisadora amazonense, Karine Aguiar canta em homenagens aos produtores locais e as mercadorias que utilizam de matéria primas amazônicas.

    Pulseiras, colares, cocares e outros acessórios populares no Amazonas, e que são as ‘’estrelas’’ dos mercados municipais, em Manaus, receberam a poesia inspirada neles.

    De autoria dos consagrados compositores do Boi-bumbá Caprichoso Hugo Levy, Neil Armstrong e Silvio Camaleão, a obra possui uma atmosfera envolvente, com os tambores do Boi de Parintins.

    A música de Karine vem sendo reconhecida em cenário internacional como “Jungle Jazz”, por se tratar um diálogo entre o Jazz e as manifestações musicais amazônicas como o Boi-bumbá, o Gambá, o Lundu, o Marabaixo, o Carimbó, entre outros. 

    Toada de Manaus – Raízes Caboclas

    ‘’Só Manaus é diferente nessa maneira de ser, pois invés de morar nela, é ela que mora na gente’’

    Formado na década de 1980, o grupo Raízes Caboclas tem como principal objetivo a abordagem das raízes culturais da Amazônia, buscando referência nas diversas tendências musicais da região. 

    ''Toada de Manaus'', um dos sucessos do grupo, exalta a capital amazonense e o encantamento que nela mora.

    Leia mais:

    Inspiração: músicos homenageiam Manaus em canções e ritmos

    Beatriz Procópio surge como promessa na música amazonense

    Josué Castilho utiliza arte como reflexão sobre a Amazônia