Artista independente


Conheça Dan Stump, o inerente artista amazonense

Aos 25 anos, Dan Stump atua no teatro, cinema, música e diversos movimentos artísticos, sempre exaltando os talentos do Norte

Arte de Dan Stump interage entre diversos movimentos
Arte de Dan Stump interage entre diversos movimentos | Foto: Demi Brasil

Manaus – Artista visual e cantor, Dan Stump se consagrou no cenário musical amazonense como um dos nomes mais influentes do meio artístico no Estado. Com um trabalho que abraça a cultura regional, a trajetória começou humilde e se desenvolveu com elegância.

O trabalho de Dan Stump se apresenta fortemente ligado ao teatro, ao cinema, à música e demais movimentos artísticos, e destaca a importância da interação entre as artes para o desenvolvimento da cultura local.

Definindo a própria atuação como ‘’inerente’’, Dan Stump reafirma a arte como um grande ato político e revolucionário. ‘’O impacto de ocupação cultural precisa ser coletivo e plural. Busco abraçar tudo que posso para romper barreiras dentro e fora do Norte’’, ressaltou.

Algumas das maiores referências de vozes para o músico incluem Belchior, Caetano Veloso, Elis Regina, Billie Holiday e Florence Welch. Valorizando também cantores locais, Stump cita o saudoso Torrinho e rapper Victor Xamã, figura em ascensão no hip-hop do Norte.

Stump também atua como ativista nas causas humanitárias e ambientalistas
Stump também atua como ativista nas causas humanitárias e ambientalistas | Foto: Johnny Moraes

“Meu produtor Viktor Judah também é peça fundamental no processo de atingir minha identidade musical’’, afirmou o cantor.

Com a mensagem de que é possível ser arte e ter orgulho de ser o que é, Stump aproveita cada oportunidade para romper barreiras. “O Norte precisa criar possibilidades para além de nós, algo importante também para as gerações futuras de artistas’’, ponderou.

No Amazonas, Stump também atua como ativista nas causas humanitárias e ambientalistas, principalmente na preservação dos rios e igarapés de Manaus.

Início

Natural de Manacapuru, a paixão pela arte surgiu cedo na vida de Dan Stump. Logo na infância e na adolescência, o amazonense começou a escrever poemas que, posteriormente, virariam músicas e composições.

“Através das minhas primeiras percepções de mundo, eu já estava apaixonado pela arte. Crescer em contato com a Amazônia e em um ambiente com muita música sempre alimentou minha mente criativa e intuitiva’’, relembrou Stump.

Stump canta nos ritmos de folk
Stump canta nos ritmos de folk | Foto: Lucas Bardo

Passeando pelos estilos folk, indie, soul e pop rock, a trajetória musical do artista iniciou em 2015. Com covers nas redes sociais, ele começou a explorar as próprias aptidões artísticas.

Atualmente, os ritmos que definem a música de Dan Stump são ‘’uma mistura de folk com experimentalismo regional’’, onde busca refletir a miscigenação genética no Amazonas.

O primeiro disco, ‘’Tudo o que eu penso são palavras perdidas que tento reorganizar’’, foi lançado em 2019 e, desde então, Stump exerce uma forte presença nas plataformas digitais, e o público dele vem crescendo cada vez mais.

“Completei recentemente um ano do lançamento desse disco, e ele virou um minidocumentário para o YouTube, onde conto um pouco dessa trajetória até aqui’’, comentou sobre a produção.

Cena do documentário de ‘’Tudo o que eu penso são palavras perdidas que tento reorganizar’’
Cena do documentário de ‘’Tudo o que eu penso são palavras perdidas que tento reorganizar’’ | Foto: Divulgação

Pontos altos

Como um artista independente, o cantor revelou que cada pequena conquista é uma grande conquista.

Mas, entre os momentos de maior orgulho para Stump, estão o primeiro milhão de acessos do disco ‘’Tudo o que eu penso são palavras perdidas que tento reorganizar’’, nas plataformas de streaming, e a participação do YouTubeNextUp 2019 – uma aposta musical que selecionou 12 artistas nacionais.

O show de lançamento do disco e uma performance no Festival Passo a Paço, o chamado Rock In Rio de Manaus, foram outros momentos marcantes na carreira do músico.

“Foi como uma síntese de todos os pequenos e grandes shows até aquele momento, rodeado de pessoas que eu amo, fazendo o que amo’’, recordou.

Show de Dan Stump no Passo a Paço
Show de Dan Stump no Passo a Paço | Foto: Fernando Luz e Emerson Araújo

Os próximos passos na carreira de Dan Stump, revelou, envolvem um olhar mais maduro, após o primeiro disco lançado.

“As composições vieram de fases anteriores e ideais, que tive desde os 16 anos até os 21. Estou em processo de composição e preparação para a próxima era que será leve, tropical e com uma visão musical com experiências mais recentes’’, finalizou.

Arte por Giulliano Andrade
Arte por Giulliano Andrade | Foto: Lucas Bardo

Leia mais:

Josué Castilho utiliza arte como reflexão sobre a Amazônia

'Caminhando para novidades', revela Bruno Cardoso, do Sorriso Maroto

Trio ‘agenoragostinhoeleo’ lança nova música inspirada pela quarentena