Obra de Elizeu Melo


Espetáculo ‘A Jaula’ chega ao palco do Casarão de Ideias

“A Jaula” conta a história de jovens que tiveram a infância atropelada pelo trabalho, violência e abusos

| Foto: Divulgação

Manaus – O grupo Garfo na Tomada apresenta o espetáculo “A Jaula’’ no espaço Casarão de Ideias, localizado na Rua Barroso, no Centro de Manaus, neste domingo (22) e na sexta (27), sempre às 20h, com sessão extra no dia 29 de novembro.

O espetáculo é dirigido e produzido pela aluna de teatro da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Cris Jardim, e é baseado na obra homônima do escritor amazonense Elizeu Melo.

“Iniciamos a montagem usando o texto original da obra, e aos poucos vimos a necessidade de encaixar outros temas que estavam pertinentes. É incrível perceber o quanto este texto é atemporal e triste ver que não importa o tempo que for apresentado, estas histórias se repetem, infelizmente’’, contou Cris Jardim.

“A Jaula” conta a história de jovens que tiveram a infância atropelada pelo trabalho, violência e abusos. Em busca da sobrevivência, eles acabam cometendo atrocidades.

Em 40 minutos de duração, a peça propõe uma discussão sobre até onde esses personagens podem chegar para sobreviver na sociedade e se podem ser considerados criminosos ou vítimas.

| Foto: Divulgação

“Temas como feminicídio, machismo, descaso infanto-juvenil, violência física e psicológica são questionamentos levantados durante o espetáculo. As indagações são provocações para que as mulheres não sejam silenciadas e os jovens não tenham seu futuro escapando por entre os dedos’’, afirmou.

De acordo com a diretora, esta é uma reflexão que busca mesclar estudos de elementos cênicos e interpretação com os questionamentos inseridos no universo de personagens - como Israel e Katarina - em meio às falsas promessas e oportunidades equivocadas.

Elenco

O elenco é formado por alunos da universidade e ex-alunos do Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro (LAOCS), Raiana Prestes, Sahel Oliveira, Paulo Tiago e Gabriel Nazaré.

“Somos todos amigos e colegas da cena teatral na cidade, alguns já trabalharam comigo em outros espetáculos que também traziam essa carga política com influências do teatro do absurdo, e as experimentações que fazemos durantes as atividades acadêmicas ajudou a traçar os perfis para tais personagens’’, explicou Cris Jardim.

| Foto:

Cada personagem, de acordo com a diretora, levanta um questionamento diferente. Israel traz a história de um jovem em condições de rua, que sofreu muito durante a infância com maus-tratos que partiam da própria família e assim tendo uma vida marginalizada nas ruas.

Os policiais trazem a imagem dos militares, alfinetando a corrupção, abuso de autoridade e principalmente, o despreparo psicológico que vem sendo muito recorrente nas corporações.

Katarina representa as mais diversas vozes femininas que são silenciadas, humilhadas e assassinadas diariamente, é o grito por justiça em nome de muitas que viram estatística nos jornais.

“Buscamos trazer uma reflexão bem direta quanto o papel da sociedade em meio a tantos casos noticiados diariamente, esperamos que as pessoas sejam menos omissas e que tenham coragem de denunciar e ajudar quem precisa de amparo’’, refletiu a diretora.

Os ingressos no valor de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) já estão à venda no Casarão de Ideias. O número de ingressos é limitado à metade da capacidade do espaço, que é de 30 lugares, conforme os protocolos de segurança e prevenção à Covid-19. Para mais informações: (92) 98130-5087 ou pelo e-mail: [email protected]

Leia mais:

Representatividade negra na arte e na moda do Amazonas

Vozes do Festival de Parintins se encontram em live no sábado (19)

Conheça Dan Stump, o inerente artista amazonense