Fonte: OpenWeather

    Cinema


    Rosa Malagueta protagoniza filme sobre as benzedeiras da Amazônia

    De acordo com o diretor Wallace Abreu, embora seja uma ficção, o filme propõe um debate sobre a intolerância cultural e religiosa

    | Foto: Elyton Pereira

    Manaus - O curta-metragem de ficção 'A Benzedeira' começou a ser rodado no último fim de semana, em diferentes pontos da capital amazonense. O filme terá como protagonista a atriz Rosa Malagueta e conta com roteiro e direção de Wallace Abreu, sendo o filme de estreia da Cacique Produções.

    Com projeto aprovado pela Prefeitura de Manaus no Prêmio Conexões Culturais - Lei Aldir Blanc, o filme narra a história de Dona Luiza Pereira, uma benzedeira que é impedida pela justiça de pôr em prática seus conhecimentos medicinais, com a utilização de orações e ervas, que visam oferecer a cura aos males do corpo e do espírito.

    De acordo com o diretor Wallace Abreu, embora seja uma ficção, o filme propõe um debate sobre a intolerância cultural e religiosa e faz uma homenagem às benzedeiras, figura presente no imaginário das populações mais tradicionais do norte e nordeste brasileiro, assim como enaltece uma das principais práticas culturais e religiosas da nossa região: o benzimento.

    | Foto: Elyton Pereira

    "O filme apresentará essa prática cultural e religiosa, que com o advento das novas tecnologias, está sendo cada vez mais 'esquecida'. Para a elaboração do roteiro, utilizei uma pesquisa que iniciei ainda em 2015, quando eu estava no processo de mestrado em Sociedade e Cultura, dentro da Universidade Federal do Amazonas. Agora estou tendo a oportunidade de finalizar essa pesquisa e logo apresentaremos o resultado final", explica Abreu, que também é o roteirista da obra.

    Memórias

    A personagem principal da trama de 'A Benzedeira' foi originalmente pensada para Rosa Malagueta. A atriz relembra a sensação que teve após a primeira leitura do roteiro. "Eu fiquei muito emocionada e chorei bastante. O roteiro me tocou. Me fez acessar memórias da minha infância, com a minha avó, na Praça 14, que era benzedeira", destaca Malagueta.

    "Estou fazendo esse trabalho dedicado a ela, a dona Neuza, que era uma mulher fantástica, que só fazia o bem para os outros. Engraçado que embora o roteiro do Wallace proponha um conflito, necessário para o bom desenvolvimento da obra, a gente tá passando uma mensagem positiva, de paz, de vida, de esperança. Sentimento esse que tem contagiado toda a equipe no set de filmagem e que eu considero importante diante do atual contexto em que estamos inseridos", pontua a atriz.

    Maturidade artística

    | Foto: Elyton Pereira

    Wallace Abreu já é um nome bastante conhecido no campo teatral no Amazonas, setor no qual já possui 15 anos de experiência. Embora durante este período o artista venha flertando com o audiovisual, onde já possui trabalhos como diretor, ator, roteirista e diretor de arte, já tendo inclusive conquistado alguns prêmios no setor, ele considera 'A Benzedeira' o seu trabalho mais maduro.

    "Acho que tudo o que eu fiz até aqui contribuiu consideravelmente para o meu entendimento sobre o meu trabalho artístico e sobre o cinema que é produzido no Amazonas. Hoje me sinto mais a vontade para falar que também sou do cinema e para assumir outras funções neste setor como uma direção solo de um filme mais complexo, como é 'A Benzedeira'", pontua.

    Equipe

    Além do roteiro e direção de Abreu, 'A Benzedeira' conta com direção de fotografia de Rogério Campos, direção de arte assinada por Rafaela Martins e Elyton Pereira, direção de som de Herverson Batista (Batata) e produção executiva da própria Rosa Malagueta.

    | Foto: Elyton Pereira

    "Eu comprei essa ideia por acreditar na força que essa produção terá após sua finalização. A gente já sente, desde a pré-produção, a potência e o alcance que este filme pode ter. O cinema amazonense está numa ótima fase em mostras e festivais nacionais e até internacionais e a gente espera poder representar o Amazonas no próximo ano nesse circuito de exibições e assim poder levar a nossa cultura para outras localidades", pondera Malagueta.

    A atriz e produtora conclui ressaltando que por vários anos a Amazônia foi utilizada por cineastas de fora, que chegavam aqui com suas visões particulares sobre o território que habitamos, e que agora os produtores audiovisuais locais têm tido a consciência de tomar para si essa "responsabilidade" e construir narrativas originais que falam sobre nossa região com mais propriedade.

    "Somos amazônidas. O mundo vive de olhos voltados para cá. Nada melhor do que nós mesmos apresentarmos as riquezas físicas ou imateriais que temos. E com 'A Benzedeira' buscamos isso. É um processo cheio de 'amazônias', não só sobre a fauna e a flora, mas sobre nós, pessoas que aqui estamos" finaliza Malagueta.

    O curta-metragem deve ser finalizado até 31 de dezembro, ainda não tem data de estreia marcada e conta também com Paulo Altallegre, Hely Pinto, Jôce Mendes, Márcia Vinagre e Tony Ferreira no elenco, com participações de Eduardo Gomes, Juliana Malveira e os atores mirins Joaquim Margarido e Milyanne Thaumaturgo.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    ‘Quem é você na fila do pão?’ revela talentos culturais de Manaus

    Do Amazonas para o mundo: conheça Di Miranda e sua liberdade criativa

    3ª edição do Festival Olhar do Norte começa neste sábado (5)