Fonte: OpenWeather

    Projeto


    Osmar Oliveira conta trajetória na música em ‘Minha Vida Música’

    O artista é compositor de várias canções marcantes, entre elas, Amazonas Moreno e Cheiro de Caboca

     

    | Foto: Divulgação

    O cantor, compositor, instrumentista e professor Osmar Oliveira, integrante do grupo Raízes Caboclas, inicia o projeto “Minha Vida Música”, com a gravação de canções inéditas e regravações de grandes sucessos que marcaram sua carreira.

    O CD, que registra 38 anos de sua carreira, está em fase de produção e foi contemplado no edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), com recursos da Lei Federal Aldir Blanc.

    A obra traz composições poéticas consagradas, inspiradas na floresta Amazônia e nos povos que nela habitam, como “Amazonas Moreno”, que é considerada por muitos o verdadeiro hino do Estado, além de “Cheiro de Caboca” e “Cantos da Floresta”, resultados de uma frutuosa parceria entre Osmar Oliveira, Eliberto Barroncas, que também conta com outros compositores como Adalberto Holanda e Celdo Braga.

    A oportunidade de colocar o projeto em prática veio com a pandemia e lançamento do edital com recursos emergenciais voltados à Cultura.

    O álbum, segundo Osmar Oliveira, contempla canções, a partir do olhar do artista caboclo, nascido em Benjamin Constant (a 1.116 quilômetros de Manaus), onde, inclusive, nasceu o grupo Raízes Caboclas.  

    De acordo com Osmar, esse é um projeto especial, principalmente pela oportunidade de revelar suas experiências de vida com a música orgânica.

    “Esse projeto conta a minha vida, começando pela minha vivência em Benjamin Constant e toda a minha trajetória com a música, desde que cheguei a Manaus. Dessa vez, as minhas canções autorais inéditas vão ser gravadas e outras canções já consagradas vão ter uma nova cara, através da interpretação de amigos que fazem parte da minha caminhada e que muito me honra a homenagem deles.  Espero que as pessoas gostem, pois em cada letra e melodia, eu atribuí valores pessoais sobre a minha vida e o nosso Amazonas”, afirma.

     

    | Foto: Divulgação

    A curadoria e produção executiva é de Jean Antunes, que dividiu a obra em três momentos: o primeiro com as composições inspiradas na natureza amazônica; o segundo traz o folclore amazonense, dada a rica experiência do artista com os movimentos folclóricos em Benjamin Constant; e o terceiro e mais atual, traz a experiência com a música experimental, orgânica.

    “A última fase foi elaborada com instrumentos e sons que proporcionam uma experiência inédita, sempre inspirada nos elementos da floresta amazônica, na imensidão das águas, nas árvores, nos pássaros que entoam os cantos da floresta. Todo o trabalho vem sendo feito com muita dedicação e para contemplar o sonho de Osmar: eternizar suas canções e seu legado”, explica.

    Antunes destaca ainda a produção musical que está a cargo do parceiro de grupo, Eliberto Barroncas, que também teve projeto contemplado pelo edital e assumiu a missão de guiar músicos e coordenar as gravações. Por conta da pandemia e por ser do grupo de risco, Osmar acompanhou o trabalho de estúdio remotamente.

    “Com o desenvolvimento do trabalho notamos a necessidade de estender essa homenagem a outros mestres da cultura popular e vimos a oportunidade de estender o projeto ‘Minha Vida Música’. Então, em breve teremos outras edições deste projeto para contemplar outros grandes artistas da nossa região”, afirma Jean Antunes.

     

    | Foto: Divulgação

    Sons que guiam

    O artista também é professor da rede estadual de ensino, onde atua na educação especial.  “Trabalho com crianças do 1º ao 5º na rede pública. Como percussionista, eu acho muito importante ensinar para as crianças a importância do meio ambiente. Então, comecei a usar a musicalização para ensinar os sons a elas”, revelou Osmar, enfatizando que esse foi um dos motivos que o levou a produzir o cd “Minha Vida Música”, a fim de deixar como legado um projeto cultural, que tem também um potencial educativo sobre a cultura local.

    Com informações da assessoria*

    Leia mais:

    Espetáculo virtual "Pra te fazer lembrar" será apresentado no dia 29

    Cantora manauara, Celestina Maria, arranca elogios no "The Voice +"

    Festival 'Breve Cenas' abre inscrições para 2021