Fonte: OpenWeather

    Teatro


    “Jandira Theater Move”: conheça o primeiro teatro contêiner do AM

    Dentro de um contêiner, o teatro itinerante busca descentralizar as ações culturais no Amazonas

     

    Uma das inspirações para criar o teatro
dentro de um contêiner foi o projeto da
Companhia Munguzá, de São Paulo
    Uma das inspirações para criar o teatro dentro de um contêiner foi o projeto da Companhia Munguzá, de São Paulo | Foto: Brayan Riker

    MANAUS – Com uma proposta inédita na forma de interpretar espetáculos em Manaus, a companhia Soufflé de Bodó inaugurou neste mês o primeiro teatro contêiner itinerante do Amazonas e de toda a região Norte, o “Jandira Theater Move”. 

    Apesar de estrearem o espaço físico, a atuação da companhia de teatro será somente virtual enquanto durar a pandemia da Covid-19. Quando o momento permitir, o objetivo de Francis Madson e Denis Carvalho, que dividem a direção da companhia, é circular com espetáculos por diferentes espaços e descentralizar ações culturais. 

    "

    A companhia Soufflé de Bodó atua no Amazonas já há sete anos e a nossa ideia é produzir cultura. Nós sabemos que a cidade tem problemas com infraestrutura para fazer isso, são poucos teatros e é muito difícil uma companhia manter o seu espaço, por várias questões, entre elas, financeira. Então tivemos essa ideia para poder ocupar as praças de Manaus "

    Francis Madson,

     

     Uma das inspirações para criar o teatro dentro de um contêiner foi o projeto da Companhia Munguzá, de São Paulo, que tem um teatro maior, não itinerante, mas com arquitetura a partir de contêiner. Todo o processo de montagem do Jandira Theater Move aconteceu durante 20 dias, no mês de dezembro. 

     

    | Foto: Divulgação

    “Esse formato é mais conhecido como teatro de bolso, com 22 lugares, dois camarins e acesso para cadeirante, além de um terraço. É um teatro bem gostoso e interessante, que vai ser palco de muitos espetáculos pequenos e de médio porto”, afirmou. O espaço também é climatizado e irá disponibilizar programação virtual.

     O teatro também é uma extensão do “Jandira Theater”, sede oficial da Soufflé, que fica às margens do Solimões, no município de Iranduba. Atualmente, a sede serve para os processos internos e de manutenção da companhia devido ao novo coronavírus e às políticas e protocolos de distanciamento social. 

     

    Estrutura do teatro
    Estrutura do teatro | Foto: Brayan Riker

    O nome do teatro contêiner itinerante também foi inspirado na comunidade Jandira, em Iranduba, onde a Soufflé de Bodó Company atua com espetáculos do repertório.

    "

    Agora estamos com algumas ações, que seriam presenciais, em formato on-line e estão disponíveis nas nossas redes sociais, "

    comentou Madson,

     

    As redes sociais da companhia estão disponíveis em @souffledebodo. A realização de espetáculos e ações culturais no formato presencial ainda não tem previsão, segundo o diretor.

    “Estamos atentos à crise sanitária e nossas ações presenciais só serão realizadas após a imunização da sociedade. A ideia é montar o Jandira em Iranduba após a pandemia, porque não queremos iniciar nenhuma atividade presencial dentro do teatro antes de imunização total da comunidade”, destacou

     

    O projeto foi contemplado no Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), por meio da Lei nº 14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc.

     

    Atualmente, os espetáculos estão sendo realizados de forma remota
    Atualmente, os espetáculos estão sendo realizados de forma remota | Foto: Brayan Riker

    Espetáculo “Herói”

    O projeto foi contemplado no Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), por meio da Lei nº 14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc.

     Espetáculo “Herói” Desde sexta-feira (23), a Soufflé de Bodó Company apresenta o espetáculo “Herói”, no Youtube e no Instagram da companhia (@souffledebodo), com duração por 10 dias. 

    O monólogo fala sobre a infância de um menino, que é um boneco de neve e perde a família porque os pais derretem. Ele é o único que não derrete porque tem uma deficiência. 

    "

    A história propõe uma reflexão de como nós olhamos a imagem de um determinado momento da vida, conta uma trajetória de vida, um espaço-tempo "

    Denis Carvalho,

     

    Neste trabalho, Madson vem na concepção do texto, direção, figurino e iluminação enquanto Denis está em cena e na produção. Já Klindson Cruz assina a assistência de produção.

    Leia mais:

    Cantor amazonense homenageia música popular em show no Teatro Amazonas

    Pesquisadora e compositora transforma material acadêmico em música

    Atração internacional marca estreia do Festival Lona Aberta na terça