Fonte: OpenWeather

    Home Arte


    Projeto apresenta covers de clássicos do teatro musical em Manaus

    Vídeos do projeto dirigido pelo ator e cantor amazonense Clayson Charles serão publicados duas vezes na semana até o mês de junho

     

    | Foto: Divulgação

    Em maio, os internautas vão poder acompanhar releituras de famosos números de teatro musical feitos em casa. O projeto “Home Arte”, criado e dirigido pelo ator, diretor e cantor amazonense Clayson Charles, 32, reúne 10 vídeos gravados em uma residência, cada qual com uma “versão cover” de determinada obra do gênero.

    Os vídeos, produzidos no início de abril, serão publicados semanalmente em um canal no Youtube (Clayson Charles) a partir do dia 4, sempre às terças e sábados. A última apresentação entrará no ar no dia 5 de junho.

    Os números escolhidos para serem adaptados ao “Home Arte” são, de certa maneira, uma homenagem de Clayson às produções do gênero. Trechos de musicais como “Pippin”, “Rei Leão” e “A Pequena Sereia” são alguns dos números a serem reproduzidos no projeto. As gravações aconteceram com equipe reduzida e sob uso de máscaras e álcool gel, atendendo a todos os protocolos de prevenção ao novo coronavírus.

     

     

    | Foto: Divulgação

    Um musical que impactou bastante a vida do ator é “O Homem de La Mancha”, que Charles assistiu pela primeira vez em São Paulo. A produção também ganhou uma versão cover no “Home Arte”. Eu fiquei muito emocionado.

    Lembro que não sabia o que sentia, se eu ria ou se chorava. Foi decisivo na minha vida, foi quando eu disse ‘Cara, é isso o que eu quero fazer’. E comecei a estudar mais sobre teatro musical”.

    Para Clayson, adaptar números de teatro musical para o ambiente residencial e audiovisual foi um grande desafio.

    “O teatro musical envolve canto, dança, e teatro. Os números do teatro musical são textos com música, não são apenas músicas. Há toda uma técnica construída para você conseguir falar e cantar. Tem um exemplo disso em um número do ‘Dream Girls’, em que há uma discussão onde eles estão discutindo ‘cantando’; mas você vê que é uma discussão. Já no teatro com música é diferente. Já não envolve dança, canto, é um outro lugar”, destaca ele.

     

    Produção

    De acordo com a produtora geral do projeto, Camila Maria, a proposta de “Home Arte” é que todos os números fossem feitos dentro de casa, para inspirar pessoas que estão vivendo o período de distanciamento social a consumir arte em casa, e a fazer arte também.

    “O projeto foi uma iniciativa do Clayson Charles, que é um artista super ativo, e que diante da pandemia resolveu fazer a sua arte em casa. Hoje o ‘Home Arte’ ganha um formato profissional, como um estímulo também a muitos artistas que estão precisando se reinventar diante deste cenário, uma vez que fazem parte do setor mais afetado economicamente pela pandemia”, destaca ela.


     

    | Foto: Divulgação

    Para os números musicais adaptados, houve toda uma caracterização dos personagens, para aproximar o projeto das obras em si e do público.

    “A Jonatas Sales Produções está à frente da parte de figurinos e maquiagem. Essa foi uma preferência da equipe por conhecer o trabalho dos profissionais, que super combinou com a proposta do ‘Home’”, aponta Camila.

    Ela explica também que Clayson realiza a maior parte dos números sozinho, mas em alguns há colaborações. “Em dois números, contamos com a participação de artistas convidados, como o ator Manuel Fagache”, completa a produtora.

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais:

    Curupira, Boitatá e Boto: lendas amazônicas estampam mural em Manaus

    Bob Marley é homenageado por bandas amazonenses no Reggae Folia Lives

    Manaus debate importância da Semana de Arte Moderna de 1922