Fonte: OpenWeather

    Presidente Figueiredo


    Projeto realiza oficinas de cinema e meio ambiente no interior do AM

    As aulas das oficinas estão sendo ministradas de forma gratuita pelo diretor audiovisual Heraldo Daniel e o produtor cultural Herman Antony

     

    | Foto: Divulgação

    Contemplado com recursos da Lei Aldir Blanc e com o apoio do Instituto Amazônia Equatorial, prefeitura de Presidente Figueiredo e Maroaga Cultural, o projeto de oficinas tem o objetivo de ensinar todos os passos da produção de um vídeo a partir do smartphone

    Com objetivo de valorizar a cultura e o meio ambiente e estimular a comunidade a vivenciar a preservação ecológica em sua própria região, o Instituto Amazônia Equatorial, uma organização social de interesse público federal e que tem o papel de alertar as autoridades do cumprimento das leis ambientais tem investido em projetos que incentivem e desenvolvam ações com um olhar receptivo às preocupações ecológicas.

     

    Contemplado com recursos da Lei Aldir Blanc e com o apoio do Instituto Amazônia Equatorial, prefeitura de Presidente Figueiredo e Maroaga Cultural, o projeto de oficinas “Cinema e Meio Ambiente que consiste em ensinar todos os passos da produção de um vídeo a partir do smartphone, está sendo realizado desde o dia 19 de abril com previsão de encerramento no dia 1° de maio com aulas práticas e a gravação do curta, resultado das técnicas apresentadas durante as aulas. As oficinas seguem na Vila de Balbina, entre os dias 3 a 8 de maio.

     

    | Foto: Divulgação

    As aulas das oficinas estão sendo ministradas de forma gratuita pelo diretor audiovisual Heraldo Daniel e o produtor cultural Herman Antony. De acordo com os organizadores, além das técnicas que vão desde a concepção da ideia até montagem, os alunos irão aprender ainda conceitos de meio ambiente. No final das oficinas serão entregues certificados de conclusão.

    De acordo com Herman Antony, produtor responsável e vencedor do edital que contemplou o projeto, como o tema é Meio Ambiente, a linguagem do documentário para que os alunos possam voltar o olhar para o assunto, levando em consideração o histórico de gravação de filmes, novelas, reportagens voltadas à temática, foi utilizada para apresentação das oficinas.

    “O momento é propicio em função da pandemia pois os jovens estavam carentes de programações e conteúdos direcionados ao audiovisual e a nova geração absorve esse tipo de programação e é muito fantástico observar os resultados e o envolvimento dos alunos”, destaca, lembrando o importante papel dos tópicos sobre meio ambiente que foram abordados.

     

     

    | Foto: Divulgação

    Para o presidente do Instituto da Amazônia Equatorial, Hipérion Monteiro, a riqueza natural existente em Presidente Figueiredo é o cenário ideal para a execução de projetos desse porte e que contemplem iniciativas que defendam e valorizem a educação ambiental, e, consequentemente, a preservação de sua fauna e flora.

    “ A proposta tanto do projeto como o local escolhido estimula a criatividade possibilitando diálogos e reflexões ambientais, abordando suas temáticas e importância dentro de um patrimônio natural que são as cachoeiras e toda natureza que envolve Figueiredo”, conclui Hipérion.

     

     Leia mais:

    Curupira, Boitatá e Boto: lendas amazônicas estampam mural em Manaus

    Bob Marley é homenageado por bandas amazonenses no Reggae Folia Lives

    Manaus debate importância da Semana de Arte Moderna de 1922