Fonte: OpenWeather

    MUSEU


    Conheça alguns dos museus mais importantes de Manaus

    A cidade conta com museus históricos, socioculturais e até sobre crimes, todos com acervos ricos da história da capital amazonense

     

    | Foto: Arquivo Sec

    Manaus - Em 351 anos de história, a cidade de Manaus já passou por inúmeras transformações urbanas, sociais e culturais. Para o registro e cuidado de toda essa informação preciosa, os mais diversos museus foram criados na cidade, abrangendo desde história até arqueologia e numismática.

    Segundo o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), dos 26 museus do Amazonas, 23 estão localizados em Manaus. Entre estes museus, estão o Museu da Amazônia (Musa), o Museu do Homem do Norte, o Museu Casa Eduardo Ribeiro, a Pinacoteca do Estado do Amazonas e a Galeria Amazônica.

    O Secretário de Cultura e Economia Criativa do Amazonas, Marcos Apolo Muniz, falou sobre a importância dos museus na preservação da cultura do Amazonas e citou os museus como a “guarda de nossa história”. O Secretário ainda destacou o serviço de visitas guiadas oferecido pelo Portal da Cultura (cultura.am.gov.br).

    "

    É importante entendermos a importância dos museus para a guarda da memória do nosso Estado. Os vários museus do Amazonas são coordenados e estruturados pelo governo do Amazonas com esse objetivo: para que os cidadãos do Amazonas e os visitantes que passam pelo Estado tenham acesso à nossa Cultura e à nossa história "

    disse, Apolo

     

     

    | Foto: Arquivo EM TEMPO

    Palacete Provincial

    O Palacete Provincial do Amazonas, localizado na Praça Heliodoro Balbi, guarda cinco museus. O prédio, fundado em 1874, foi por mais de 100 anos o Quartel da Polícia Militar do Amazonas. Em 24 de março de 2005, houve uma restauração do edifício, e em 2009 foi reinaugurado como Palacete Provincial.

    Os cinco museus que ficam no Palacete são: Museu da Imagem e do Som (MISAM), Pinacoteca do Estado, Museu de Arqueologia e o Museu Tiradentes. Segundo dados da Secretaria de Cultura, o Palacete recebe cerca de 145 mil visitantes ao ano e está aberto de terça-feira ao sábado, das 9h às 15h.

    Museu da Imagem e do Som do Amazonas (MISAM)

    Um dos museus dentro do Palacete Provincial, o MISAM guarda um acervo de importantes registros audiovisuais históricos e culturais gerais e da região. Partituras, livros, catálogos, jornais, revistas, cartazes institucionais, DVDs, fitas VHS, rolos de filme, música em CD e vinil, e fitas de vídeo.

    O Museu foi inaugurado em 6 de novembro de 2000. De acordo com o site da instituição, o acervo foi formado por doações de várias entidades e colecionadores, além de aquisições da Secretaria Estadual de Cultura. O MISAM recebe cerca de 2.173 pessoas por mês. Funciona de terça a sexta (9 às 17h) e nos finais de semana (9h às 14h). A entrada é gratuita.

    Museu de Numismática Bernardo Ramos

     

    | Foto: Arquivo Sec

    Outra instituição do complexo do Palacete Provincial, o Museu de Numismática Bernardo Ramos abriga uma variedade de moedas, cédulas, cartões postais, selos, condecorações, quadros, máquinas registradoras e diversos outros artigos relacionados à numismática (estudo de moedas, medalhas e cédulas). O nome é em homenagem ao comerciante Bernardo D’Azevedo da Silva Ramos, comerciante e colecionador do século XIX, que organizou o acervo.

    As vitrines do museu expõem ainda artigos de todos os continentes, da Idade Antiga, Média e Contemporânea, e apresenta referências sobre o contexto cultural dos costumes, usos, economia, política das mais de 35 mil peças que a instituição possui. O Museu recebe cerca de 1.480 pessoas por mês, e funciona de terça a sexta (9 às 17h) e nos finais de semana (9h às 14h). A entrada é gratuita.

    GaleriAmazônica

    A GaleriAmazônica é fruto da parceria entre a Associação Comunidade Waimiri Atroari (ACWA) e o Instituto Socioambiental, e busca valorizar a diversidade socioambiental na Amazônia. O espaço expõe, vende e aceita encomendas de artesanato regional, e realiza todas as suas transações de acordo com os princípios do Fair Trade (Comércio Justo). Atualmente, a GaleriAmazônica comercializa produtos de 15 etnias, entre as quais: Tikuna, Tukano, Parakanã, Waimiri Atroari, Yanomami, Baniwa, Saterê Mawé.

    Museu do Seringal Vila Paraíso

     

    | Foto: Arquivo Sec

    Localizado no Igarapé São João, área rural de Manaus, o Museu do Seringal Vila Paraíso foi inaugurado no dia 16 de agosto de 2000. A instituição reproduz como era um seringal do final do século XIX e início do século XX. De acordo com o site da instituição, as instalações foram primeiramente utilizadas como locação do filme “A Selva”, do diretor português Leonel Vieira.

    As visitas ao Museu do Seringal são guiadas, e os visitantes aprendem sobre o processo de produção da borracha, além do contexto de classe que diferenciava o seringueiro, que extraía o leite da seringueira e e trabalhava em condições análogas à escravidão, e o seringalista, dono do seringal, que ganhava muito dinheiro e vivia com conforto e tinha hábitos opulentos.

    O Museu está fechado por conta da pandemia de Covid-19. Quando estava aberto, costumava receber cerca de 1.395 pessoas por mês.

    Museu do Homem do Norte

    O Museu do Homem do Norte foi idealizado pelo sociólogo Gilberto Freyre, visando registrar e reunir um acervo da cultura e das especificidades e costumes da região Norte do Brasil. O acervo do museu foi construído a partir de doações, aquisições e incorporações feitas ao longo de sua história, e também conta com o Cine Silvino Santos, que homenageia o pioneiro do cinema amazonense.

    Segundo o site do Museu, o objetivo é oferecer ao público “uma visão da amplitude cultural regional, mostrando as técnicas de trabalho do dia a dia das populações amazônidas, os meios de transporte, as habitações, a alimentação, as festas, o artesanato, a religiosidade, os mitos e ritos, além de importante acervo arqueológico”.

    Cerca de 1.175 pessoas visitam a instituição mensalmente. O horário de funcionamento é entre as 9h e 17h, de segunda a sábado e a entrada é gratuita.

    Casa das Artes

    A Casa das Artes funciona em uma das residências mais antigas de Manaus. Ela pertenceu a Thaumaturgo de Albuquerque Sapha, advogado e delegado do Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Industriários. Localizada no Largo de São Sebastião, a instituição é sede da administração do Centro Cultural São Sebastião, e recebe várias exposições temporárias de artes visuais, de música e multimídia.

    A Casa das Artes funciona de terça a domingo, das 15h às 20h. Só podem entrar grupos de 10 pessoas, no máximo.

    Museu do Crime

     

    | Foto: Arquivo Sec

    O Museu do Crime tem como objetivo a aproximação do Poder Judiciário com a sociedade, e cataloga histórias e documentos sobre casos jurídicos de destaque na cidade de Manaus, muitos deles com repercussão de nível nacional e internacional.

    Localizado no Palácio da Justiça, o Museu conta com vários ambientes, dentre os quais uma “Sala dos Crimes”, que cataloga objetos que fizeram parte de processos, como motosserra, armas, caça-níqueis, balaclavas e máscaras. Ainda há uma Sala de Penas e uma Sala de Vídeo, e um ambiente que simula um júri.

    A instituição recebe cerca de 720 visitantes por mês, e funciona de terça a sexta-feira (9h às 17h) e domingo (9h às 14h). A entrada é gratuita.

    Leia mais:

    Documentário resgata história da família Ramos em Manaus

    Aniversário da capital é celebrado com programação cultural em Manaus

    Vídeo: veja 10 pontos turísticos que contam a história de Manaus